Brasil
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

STJ julga hoje se assassino de casal em São Paulo pode ser solto Champinha é o assassino confesso do casal Liana Friedenbach e Felipe Caffé, crime brutal ocorrido em 2003

Publicação: 10/12/2013 13:16 Atualização:

O Superior Tribunal de Justiça deve decidir nesta terça-feira (10/12) se Roberto Aparecido Alves Cardoso, o Champinha, pode ser solto. Há dez anos, ele comandou um crime brutal em São Paulo: o sequestro e o assassinato do casal de namorados Liana Friedenbach e Felipe Caffé, na época com 16 anos e 19 anos, respectivamente. A sessão está prevista para começar às 14h. Os detalhes sobre o processo são desconhecidos, pois o caso está em segredo de Justiça.

A morte do casal ocorreu em novembro de 2003. Liana Friedenbach e Felipe Caffé acampavam em uma zona rural, a 36km do centro de São Paulo, quando foram surpreendidos por criminosos, entre eles Champinha, na época com 16 anos. As vítimas foram mantidas em cativeiro e torturadas. Felipe foi morto com um tiro na nuca. A jovem ainda foi violentada diversas vezes antes de morrer esfaqueada até a morte por Champinha. Os corpos deles só foram encontrados cinco dias após o crime.

Imagem mostra o casal Liana Friedenbach e Felipe Caffé: crime brutal
Imagem mostra o casal Liana Friedenbach e Felipe Caffé: crime brutal


Presos e julgados, os quatro comparsas de Champinha foram condenados. Ele não foi julgado, por ser menor de idade. Recebeu a penalidade máxima, por ato infracional grave, prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de internação de no máximo três anos em uma unidade específica para adolescentes infratores.

Leia mais notícias em Brasil

Em 2006, quando o período de internação terminou, o Ministério Público de São Paulo apresentou uma ação de interdição civil, que foi acolhida pela Justiça. Champinha só não foi colocado em liberdade porque laudos psiquiátricos apontaram que ele tinha problemas mentais e a Justiça determinou que ele deveria continuar internado. Para cumprir a ordem, o governo de São Paulo criou a Unidade Experimental de Saúde, na Zona Norte da capital paulista, onde o assassino está até hoje.

Em novembro deste ano, o Ministério Público pediu à Justiça que Champinha passasse por uma nova avaliação médica, cujo resultado ainda não foi divulgado.

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: Maria de Fatima Sousa
Uma pouca vergonha. Nesse país realmente não tem justiça. | Denuncie |

Autor: zales alves
Um sujeito desse não pode mais conviver em sociedade. | Denuncie |

Autor: Luiz Sergio
Sério, eu tenho mais medo da Justiça desse país, do que ver desse rapaz solto. | Denuncie |

Autor: wanderlei almeida
Deveria pegar era uns 1000 anos !!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.