Brasil
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Chuva deixou cerca de 3 mil desalojados na Baixada Fluminense O governador ouviu o relato dos prefeitos e disse que os trabalhos serão intensificados com a dragagem e a retirada de moradores de margens de rio

Agência Brasil

Publicação: 12/12/2013 18:48 Atualização: 12/12/2013 18:52

Abrigo improvisado pela prefeitura na Escola Municipal Metodista (Tomaz Silva / Agência Brasil)
Abrigo improvisado pela prefeitura na Escola Municipal Metodista

Rio de Janeiro – A forte chuva que atingiu a região metropolitana do Rio deixaram cerca de 3 mil desalojados e 200 desabrigados na Baixada Fluminense. O número foi divulgado pelo secretário estadual de Defesa Civil, coronel Sérgio Simões, que participou de reunião com o governador Sérgio Cabral e dez prefeitos da região, no quartel do Corpo de Bombeiros de Nova Iguaçu.

“Os municípios mais atingidos foram Nova Iguaçu e Queimados, mas Japeri, São João [de Meriti], Belford Roxo, Duque de Caxias, Mesquita e Nilópolis também foram afetados”, disse Simões.

O governador ouviu o relato dos prefeitos e disse que os trabalhos serão intensificados com a dragagem e a retirada de moradores de margens de rios. Segundo ele, 15 mil famílias já foram retiradas de áreas de risco e recebem aluguel social, em todo o estado, em decorrência de várias enchentes ocorridas no passado.

“Com as famílias que estão em área de risco, vamos avançar para o [programa] Minha Casa, Minha Vida ou para a compra assistida, que é um método que já usamos na serra e na Baixada [Fluminense], em que se faz a compra de imóveis para essas famílias onde não há condições de se construir [por meio do] Minha Casa, Minha Vida”, explicou Cabral.

Leia mais notícias em Brasil

Enquanto conversava com os jornalistas, o governador recebeu uma ligação da presidenta Dilma Rousseff, anunciando que o ministro da Integração Nacional, Francisco José Teixeira, estará no estado amanhã (13), para uma reunião no Centro Integrado de Comando e Controle, na região central da capital.

O governador do Rio, Sérgio Cabral, se reuniu com prefeitos das cidades atingidas pelas chuvas (Tomaz Silva / Agência Brasil)
O governador do Rio, Sérgio Cabral, se reuniu com prefeitos das cidades atingidas pelas chuvas

“A conversa com a presidenta foi muito produtiva, confirmando a presença amanhã do ministro da Integração. A presidenta está querendo saber detalhes e vamos apresentar nossas demandas. Do ponto de vista das obras estruturantes, que já fizemos com o governo federal, a ministra [da Casa Civil] Gleisi [Hoffmann] vai ligar para o vice-governador [Luiz Fernando] Pezão, a fim de que ele apresente as necessidades das obras”, disse Cabral.

Cabral anunciou também a criação de um gabinete de crise, envolvendo todos os prefeitos da Baixada Fluminense, com objetivo de enfrentar as enchentes e as fortes chuvas que normalmente atingem o estado no verão. Ele comentou ainda a situação na Rodovia Presidente Dutra, que liga o Rio a São Paulo e ontem ficou interrompida pela água por várias horas, deixando os motoristas ilhados e a mercê de assaltantes. Cabral disse que vai levar a situação da rodovia à Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), com objetivo de se encontrar uma solução.

O vice-governador detalhou os trabalhos que vêm sendo feitos nos municípios da região serrana, atingidos pela pior tragédia natural do país, em 2011, quando quase mil pessoas morreram. “Nós estamos hoje com mais de 4,5 mil aluguéis sociais na serra, estamos com 1.250 pessoas indenizadas e pagas", disse Luiz Fernando Pezão. "Vamos entregar até o final deste ano um total de mil moradias”, acrescentou.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Silvio Rohden
Me pergunto?A quem interessa o aluguel social?quem vai repor ,móveis e utensílios perdidos?Com as condições de vida desta classe menos assistida,sobram os espertalhões.Os danos causados,trazem grandes consequências de fundo moral e a autoestima vai parar aonde?Como acreditar num país mais justo? | Denuncie |

Autor: Silvio Rohden
Basicamente todos os políticos são demagógicos,dá vergonha de ouvir desta classe o que falam,não trabalham com prevensão e só aparecem na hora da tragédia,para tirar fotografias e virarem santos milagreiros,inclusive a presidência da República.O Rio de Janeiro já devia ter caçado o mandato.Então paga | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.