Brasil
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ministério Público do Trabalho pede a interdição do Arena da Amazônia Em menos de 24 horas, dois operários morreram em Manaus em obras da Copa do Mundo de 2014

Publicação: 15/12/2013 13:29 Atualização: 15/12/2013 15:52

 (AFP PHOTO / Christophe Simon )

Tendo em vista o acidente fatal ocorrido na madrugada de sábado (14/12), nas obras da Arena da Amazônia, o estádio de Manaus para a Copa do Mundo de 2014, o Ministério Público do Trabalho de Manaus pediu para que o local seja interditado. Segundo o MPT, o documento requer a imediata interdição de todos os setores da obra da Arena da Amazônia que envolvem atividades em altura, até que seja atestado, mediante laudo detalhado, o atendimento dos requisitos mínimos e das medidas de proteção para o operário. Se a determinação não for cumprida, a construtora estará sujeita a multa de R$ 100 mil por dia.

Duas mortes
Em menos de 24 horas, dois operários morreram em Manaus em obras da Copa do Mundo de 2014. Desde o início dos preparativos para o evento, seis trabalhadores já perderam a vida nas construções do evento, três deles na capital amazonense.

Na noite de sexta-feira, Marcleudo de Melo Ferreira, de 22 anos, um dos operários que prestava serviços nas obras da Arena da Amazônia, caiu de uma altura de aproximadamente 35 metros quando realizava trabalhos na montagem da cobertura da arena. Natural de Limoeiro do Norte, no Ceará, ele foi levado ao hospital ainda com vida, mas não resistiu aos ferimentos. De acordo com colegas, a queda de Marcleudo foi provocada pelo rompimento de um cabo.

Horas depois, José Antônio da Silva Nascimento, de 49 anos, teve um enfarto enquanto trabalhava nas obras do Centro de Convenções do Amazonas (CCA), que fica ao lado da Arena da Amazônia e que será utilizada para reuniões e encontros durante a Copa do Mundo. O operário chegou a ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu e morreu no local. Familiares reclamaram da demora no atendimento e do excesso de trabalho.
Tags:

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Leonardo Victor
Ao menos não e feio como o de Brasília! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.