Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cerca de 60 sem-teto fazem protesto à noite na Avenida Paulista Com tambores e gritos de guerra, os manifestantes saíram do vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e seguiram em passeata, fechando a avenida, no sentido Rua da Consolação

Agência Brasil

Publicação: 24/12/2013 08:28 Atualização:

Um grupo de cerca de 60 sem-teto protestou na noite da última segunda-feira (23/12) na Avenida Paulista, região central da capital. A passeata, feita por moradores de ocupações da zona sul, aproveitou o movimento das pessoas que foram ver a decoração de Natal para reivindicar moradia. As luzes e enfeites natalinos atraem grande público que lota as calçadas e congestiona o trânsito da região nesta época do ano.

Leia mais notícias em Brasil


Com tambores e gritos de guerra, os manifestantes saíram do vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e seguiram em passeata, fechando a avenida, no sentido Rua da Consolação. “A Avenida Paulista é um símbolo em São Paulo. A gente veio para chamar a atenção para a periferia, para a nossa situação. Lá não tem árvore de Natal. Olha o tanto de dinheiro que eles gastaram com essa iluminação, para a nossa moradia eles não dão [dinheiro]”, destacou a cabeleireira Sandra Moura sobre as razões do protesto.

Sandra conta que passou a militar na Rede Extremo Sul como tentativa de sair do aluguel que chegava a comprometer 70% da renda familiar. “Lá [na periferia da zona sul] os aluguéis são muito caros. E cabeleireiro é [profissional] autônomo. Tem mês que dá [dinheiro], tem mês que não dá”, explicou Sandra, que é mãe de quatro filhos e já foi despejada em seis ações de reintegração de posse.

Morador do Jardim da União, uma das três ocupações representadas no ato, Alex de Lima disse que a mobilização vai continuar até que o Poder Público traga soluções para o problema da falta de moradia. “Estamos aqui para dizer que nem em tempo de festa nós vamos relaxar. E que o ano que vem seja próspero para todos nós, que todas as nossas reivindicações se concretizem”.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.