Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Chuvas em Minas Gerais já registram 15 mortes, diz Defesa Civil Últimos incidentes fatais foram registrados nos Vales do Rio Doce e do Aço. Belo Horizonte tem a primeira morte

Valquiria Lopes

Publicação: 24/12/2013 12:11 Atualização:

Subiu para 15 o número de mortes em decorrência das chuvas em Minas. De acordo com balanço da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), mais quatro pessoas perderam a vida soterramentos. Os últimos casos ocorreram nos vales do Aço e do Rio Doce, que vêm sendo castigados por temporais. Em Belo Horizonte foi registrada a primeira vítima: um homem que sofreu princípio de afogamento quando seu carro ficou ilhado e não resistiu a uma parada cardiorrespiratória depois de ser socorrido.

Em Governador Valadares estragos estão espalhados por toda a cidade. Prefeitura decretou situação de emergência e recomenda cautela a moradores  (Dió Freitas/Divulgação)
Em Governador Valadares estragos estão espalhados por toda a cidade. Prefeitura decretou situação de emergência e recomenda cautela a moradores

Em Governador Valadares, Vale do Rio Doce, duas crianças perderam a vida após terem sido soterradas durante um deslizamento de terra na casa onde moravam. O imóvel, localizado na Rua Pero Vaz de Caminha, no Bairro Vera Cruz, foi atingido no quarto onde estavam as crianças Letícia Paz, de 11 anos, e Kauã Feliciano Paz Rocha, de 3, tia e sobrinho. Os dois foram socorridos, mas já chegaram ao pronto-socorro municipal sem vida. Toda a área no entorno da moradia foi interditada. Os familiares optaram por ir para casa de parentes, enquanto vizinhos foram abrigados na Escola Municipal Laura Fabri.

A situação na cidade piorou com as fortes chuvas do fim de semana. De acordo com a prefeitura, do início de dezembro até ontem choveu 510 mm, 316,7% acima da média do mês. O nível do Rio Doce, que até a semana passada permanecia normal, começou a subir e a atenção é grande nos bairros em áreas com riscos de deslizamento, a exemplo do Vera Cruz, Santa Paula, Querosene, Jardim do Trevo, Atalaia e Azteca.

Leia mais notícias em Brasil

Um deslizamento de terra registrado anteontem foi responsável pela morte de uma pessoa em Itanhomi, próximo a Valadares. Maria Benedita da Silva, de 66 anos, estava no imóvel atingindo, na Rua Sebastião Alves, 121, na Vila Bias Fortes. Na sexta-feira, um homem que trabalhava no desaterro de um barranco de aproximadamente quatro metros em Timóteo, no Vale do Aço, morreu encoberto pela terra. De acordo com o coordenador de Defesa Civil do município, Delmando Luiz Amorin, a vítima, Celso Benício de Araújo Paiva, de 60, já havia sido notificado duas vezes sobre a irregularidade da obra, mas insistiu na escavação no lote, do qual era proprietário. Celso chegou a ser socorrido com vida, mas faleceu duas horas após dar entrada no Hospital Municipal São Camilo, em Timóteo. Na cidade, pelo menos 60 pessoas estão desalojadas por causa do transbordamento do Córrego Arataquinha e por risco de desabamento de residências.

Em Belo Horizonte, no Bairro São Paulo, na Região Nordeste, um homem de 56 anos que havia começado a se afogar, após tentar passar por um trecho alagado, foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros. Segundo os militares, o carro ficou praticamente encoberto e parou de funcionar. O motorista teve uma parada cardíaca e, segundo a corporação, e foi encaminhado ao Hospital Risoleta Tolentino Neves, na Região de Venda Nova, na capital, mas não resistiu.

Emergência

Também subiu o número de cidades que decretaram situação de emergência em Minas. Já são 25 municípios que comunicaram inundações, chuvas intensas, deslizamentos e alagamentos. Entraram por último na lista as cidades de Jampruca (Vale do Mucuri), Ubá (Zona da Mata), Frei Inocêncio (Vale do Rio Doce), Padre Paraíso (Vale do Jequitinhonha), Timóteo (Vale do Aço), além de São Geraldo da Piedade e São João de Manteninha, ambas no Vale do Rio Doce. Apesar de ainda não constar no relatório da Cedec, a Prefeitura de Governador Valadares informa também já ter decretado situação de emergência. “Estamos agindo primeiro para normalizar o acesso onde ele foi interrompido. Pedimos muito cuidado às pessoas, ao transitar pela cidade, e colaboração. É hora de solidariedade”, disse a prefeita, Elisa Costa.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.