Brasil
  • (13) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Planalto tenta evitar medida extrema e intervenção no Maranhão Ministro da Justiça é enviado ao estado para discutir medidas contra a violência que deixou a capital maranhense sitiada na semana passada

Paulo de Tarso Lyra - Correio Braziliense

Grasielle Castro - Correio Braziliense

Publicação: 10/01/2014 06:00 Atualização: 10/01/2014 08:51

Detento ferido é retirado do presídio de Pedrinhas, em dezembro: desde o início do ano passado, 62 pessoas foram executadas na unidade  (Douglas Cunha/O Estado do Maranhão/Reuters - 17/12/13)
Detento ferido é retirado do presídio de Pedrinhas, em dezembro: desde o início do ano passado, 62 pessoas foram executadas na unidade

 

O iminente pedido de intervenção federal no Maranhão que será feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, mobilizou o Palácio do Planalto. A presidente Dilma Rousseff ordenou ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que fosse a São Luís para uma reunião com a governadora Roseana Sarney (PMDB) na tentativa de evitar a medida extrema em um estado governado por um grupo político aliado de longa data. A decisão foi tomada em uma reunião no palácio entre a presidente, o ministro e o vice-presidente da República, Michel Temer.

No início da noite, após o encontro no Palácio dos Leões, na capital maranhense, ficou acertada a criação de um comitê de gestão integrada entre os governo federal e estadual para implementar medidas que possam diminuir a violência. Além disso, serão criados mutirões de defensoria para analisar a situação dos presos, em especial no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Na avaliação tanto do ministro quanto da governadora, muitos dos detidos nos presídios estaduais já poderiam estar nas ruas, mas não estão porque as penas não foram revisadas. Em tese, isso poderia diminuir a superlotação e a panela de pressão em que se transformou o sistema prisional maranhense. Também será ampliado o número de integrantes da Força Nacional de Segurança em Pedrinhas.

Leia mais notícias em Brasil

Janot tem praticamente pronto o pedido de intervenção que apresentará ao Supremo Tribunal Federal. A assessoria da PGR informou que ele, assim que retornou do recesso, no fim da semana passada, debruçou-se sobre os documentos encaminhados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostrando a deterioração da situação no Maranhão, após o assassinato de 62 presos, alguns com requintes de crueldade, em Pedrinhas e à onda de violência que tomou conta do estado, com a queima de ônibus que provocaram a morte de uma menina de 6 anos. (leia mais na página 7).

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNPM) já dava sinais, desde o fim do ano passado, de que essa hipótese era mais do que plausível. Em 19 de dezembro, quando Janot encaminhou um pedido de informações à governadora Roseana Sarney, o texto do CNPM afirmava que os dados serviriam para “subsidiar um eventual pedido de intervenção”. De lá para cá, a situação no estado complicou ainda mais. O presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Alexandre Camanho, reconhece que a intervenção é uma medida extrema. “Tenho certeza de que o procurador-geral está cônscio da gravidade da situação e de uma decisão como essa.” O responsável pela Secretaria de Relações Institucionais da PGR é Nicolao Dino, irmão de Flávio Dino, pré-candidato do PCdoB ao governo do estado.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui

Esta matéria tem: (13) comentários

Autor: Magda
A culpa não é da família Sarney e sim dos eleitores que insistem em elegê-los por anos a fio, pois mesmo depois desse caos todo, a outra lá já vai se licenciar do cargo para pleitear outro. E sabem o que vai acontecer: Será eleita! | Denuncie |

Autor: arimatea c.santos santos
O que eatar acontecendo Maranhão,culpa da família Sarney.Intervenção já. | Denuncie |

Autor: Ernani oliveira
VAMOS, DILMONA!!! VOCE NAO E A MACHONA!!!!INTERVENCAO JA!!! | Denuncie |

Autor: jackson freire
Claro q não vai haver intervenção. Tudo acabará em pizza como sempre e os Sarney continuarão sua saga de desmandos tanto no estado como na união! | Denuncie |

Autor: Maria do Socorro Fernandes
O Palácio do Planalto do PT é uma extrema vergonha! Por muito menos que isso, e sem mortes, o PT queria intervenção em estados, que são comandados por adversários políticos! Desse jeito o clã Sarney de maldita herança para os maranhenses, continuará no poder por muito tempo com as bênçãos do PT. | Denuncie |

Autor: Wesley Alves
O Estado do Maranhão está jogado às traças pela ineficiência política da família Sarney. É hora do povo maranhense mudar essa realidade política e banal que mata vidas e deixa toda uma sociedade marcada por sangue e descaso. | Denuncie |

Autor: Luiz Sergio
Diante do mais absoluto caos ainda vão agir sob um ponto de vista político. Lembrem-se que é apenas um presídio, apenas um estado. Imaginem o que vem mais por ai... | Denuncie |

Autor: Anderson Lima
É incrível como o povo desse estado pode ser tão burro e não ver que a família SARNEI manda no estado e deixa seu povo a DEUS dará. acordem maranhenses, tira essa corja de LADÕES. O MARANHÃO só vai ser um estado lindo e com dignidade depois que a máfia dos SARNEI saírem do poder. | Denuncie |

Autor: Ernani oliveira
O Planalto tem medo dos Sarneys!!!! | Denuncie |

Autor: Luizenildo sousa
Negociar o que? A vida de pessoas para garantir projetos políticos pessoais? O que o procurador espera para autorizar a intervenção? Mais morte, mais sangue? Tanto mal que esse Clã já vez ao Maranhão e agora espera receber um prêmio? Não da pra aguentar... Ou choramos, ou reagimos.. | Denuncie |

Autor: Luizenildo sousa
Não é possível que os interesses pessoais políticos irão mais uma vez sobrepor aos interesses coletivos, numa situação tão grave como essa. Não tem o que se pensar, está claro a necessidade de intervenção. Será que o procurador-geral vai se vender nessa? | Denuncie |

Autor: Francisco das Chagas Nunes
Por que não pedir intervenção federal no Estado do Maranhão? O problema está aí e é grave. Se o Estado não tem governador, nem nunca teve um comando comprometido com as causas a que se propôs nas eleições, que se dane a família Sarney. Eles são os responsáveis e terão que ser julgados por isso. | Denuncie |

Autor: Maria Freitas
Pena de morte seria a solução de superlotações em presídios. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas