Brasil
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Reitores pedem federalização da Gama Filho e da UniverCidade As duas instituições de ensino foram descredenciados pelo Ministério da Educação

Agência Brasil

Publicação: 14/01/2014 21:45 Atualização:

Os dirigentes das universidades federal do Estado do Rio de Janeiro (Uni-Rio), da Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), da Federal Fluminense (UFF), da Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ) propuseram a federalização da Universidade Gama Filho e do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade) que foram descredenciados pelo Ministério da Educação (MEC).

Após reunião hoje (14), os reitores das instituições divulgaram uma nota em que defendem a federalização como alternativa para que os mais de 10 mil estudantes das entidades descredenciadas não fiquem sem concluir o curso superior. Na nota, eles dizem estar preocupados com a qualidade da educação, responsabilidade do governo federal no credenciamento e acompanhamento das instituições da educação superior no país.

“Assim, apoiamos como solução a federalização da Universidade Gama Filho e do Centro Universitário da Cidade, ambos do estado do Rio de Janeiro. Reconhecendo o grande avanço na educação nos últimos anos e a continuidade das ações positivas do atual governo, conclamamos a presidenta da República, Dilma Rousseff, e o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, para que considerem a nossa proposta de federalização, já que possuem todas as condições técnicas e políticas para a implementação da proposta para, com isso, atender aos anseios das forças sociais, políticas e estudantis”, diz o texto.

Para os reitores, a transferência dos estudantes para outras instituições pode ser inviável. “Consideramos também que o caminho para a solução do problema, que atinge os membros da comunidade acadêmica (alunos, servidores docentes e técnico administrativos), com forte impacto social, não seja uma simples redistribuição dos estudantes, tarefa que não é fácil e pode se mostrar inviável a curto e médio prazo, agravando a situação”.

Eles completam destacando que a educação não pode ser vista como um negócio, mas um investimento de longo prazo, cuja maior responsabilidade cabe aos governos. “Neste sentido, reafirmamos a nossa disposição para colaborar com o processo de federalização, mantendo o compromisso com a educação de qualidade”.

Durante o encontro, foi também discutido o calendário letivo de 2014 em decorrência das chamadas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e a formalização de um acordo de cooperação científica entre as cinco instituições.

Participaram da reunião os reitores da Uni-Rio, Luiz Pedro San Gil Jutuca; da UFRRJ, Ana Maria Dantas Soares; da UFF, Roberto de Souza Salles; em exercício da UFRJ, Antônio José Ledo Alves Cunha; e o diretor-geral do Cefet-RJ, Carlos Henrique Figueiredo Alves.
Tags:

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Fred M
Essa história de federalização não existe! É um absurdo que as pessoas pensem nesta solução para o caso, entrando em instituição pública sem passar pelos processos seletivos. É o tipo de ideia que cria prejuízo a inúmeros candidatos que dedicam a entrar em instituições públicas p/ favorecer alguns. | Denuncie |

Autor: Marcos Ferreira
kkkk é uma piada mesmo. Vai ser o maior trem da alegria de todos os tempos. Professores sendo contratados sem concurso publico e alunos sem concorrer ao vestibular. O certo é transferi-los para outras particulares. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas