Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Procon autua aeroporto do Galeão pela segunda vez em menos de duas semanas Mais de 40 irregularidades foram contatadas e a Infraero foi multada novamente

Agência Brasil

Publicação: 17/01/2014 23:28 Atualização:

Rio de Janeiro - Em mais uma etapa da Operação SOS Maestro, fiscais do Procon-RJ retornaram hoje (17) ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão/Tom Jobim para vistoriar a estrutura oferecida aos passageiros. Eles constataram mais de 40 irregularidades e voltaram a multar a Infraero, como já ocorrera no último dia 6.

Na ação desta sexta-feira, os fiscais encontraram problemas no estacionamento, das três cancelas para entrada de veículos, apenas uma estava funcionando, o que gerou fila de carros e demora no atendimento. No interior do aeroporto, foram detectadas irregularidades nos banheiros, bebedouros, elevadores, ar-condicionados e extintores.

Os consumidores aproveitaram a presença da equipe do Procon para reclamar da espera de mais de uma hora para a retirada das malas no desembarque e da falta de identificação e segurança para localizar as bagagens. Nos três andares do aeroporto, além do subsolo, os fiscais verificaram que o sistema de refrigeração não funcionava.

Além disso, no terceiro piso, oito extintores de incêndio estavam com a validade vencida, faltavam bebedouros e parte dos elevadores estava parada. As portas de emergência, em sua maioria, estavam lacradas; uma delas obstruída por carrinhos de bagagem e outra por entulhos das diversas obras que estão sendo executadas no Terminal 1.

A situação do banheiro feminino do segundo piso também chamou a atenção dos fiscais. Um balde para conter goteiras em cima do vaso sanitário corria o risco de cair no usuário e causar acidentes. No banheiro masculino, foram encontrados sanitários sujos, interditados e descargas quebradas. No destinado a portadores de deficiência, as duchas higiênicas apresentavam defeitos, causando vazamento de água.

A secretária de Proteção e Defesa do Consumidor, Cidinha Campos, disse que “o Procon foi ver aquilo que a Infraero e a Anac [Agência Nacional de Aviação Civil] deveriam ter visto há 10 anos. Esperamos que, no encontro proposto pela Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor, eles informem quando isso vai acabar”, disse.

A Infraero informou, por meio da assessoria, que vai analisar os apontamentos feitos pelo Procon e responder no prazo de 15 dias previsto por lei.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas