Brasil
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Movimentos sociais fazem manifestação em apoio a rolezinhos em SP A manifestação começou no Parque do Povo, na zona sul da capital, e deve se deslocar até a frente do Shopping JK Iguatemi

Agência Brasil

Publicação: 18/01/2014 14:02 Atualização: 18/01/2014 14:05

Movimentos sociais, comandados pela União de Núcleos de Educação Popular para Negras/os e Classe Trabalhadora (Uneafro), fazem uma manifestação desde o meio-dia em apoio aos “rolezinhos”, promovidos na cidade de São Paulo. A manifestação começou no Parque do Povo, na zona sul da capital, e deve se deslocar até a frente do Shopping JK Iguatemi, que fica ao lado.

“É um ato de solidariedade dos movimentos sociais ao rolezinho. É a favor do pobre, do funk, a favor de quem quer ir para shopping, quer ir com a namorada, quer fazer um rolê”, destacou Lucas Assis, da Uneafro.

Leia mais notícias em Brasil


Os rolezinhos têm sido feito por jovens da periferia de São Paulo nos centros comerciais da cidade. Os eventos, no entanto, têm sido reprimidos pela polícia e proibidos por decisões judiciais.

“No país da copa, shoppings racistas proíbem a entrada de negros e pobres”, diz, em inglês, uma das faixas carregadas pelos manifestantes. “Não é contra a copa. É para chamar a atenção não só para o que está bonitinho, não só para o estádio, tem de chamar a atenção também para o que está faltando, para quem bate em nós”, ressaltou Assis.

A Uneafro ainda condenou a ação de alguns shoppings de impedir a entrada dos participantes dos rolezinhos, e a violência cometida por alguns agentes da polícia. “É o opressor mostrando a cara, é o cara que não gosta da gente, é o playboy, é o cara que olha para o preto, para o pobre, para qualquer um que não corresponde a carinha dele, com desprezo. Só que ele manda a polícia bater em nós, ele não tem coragem de chegar ali e expulsar”, acrescentou Assis.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Daniela Dutra
Estão confundindo direito que as minorias tem de ir e vir, e frequentar centros comerciais como qualquer pessoa com direito a fazer balbúrdia e confusão, com gritaria e correria nos shoppings, onde famílias se encontram justamente para fugir de confusões. Este rolezinho não passa de um arrastão, sim. | Denuncie |

Autor: Daniela Dutra
Nunca vi negro, pobre, gay, ou seja lá quem mais se acha minoria ser impedido de entrar em algum shopping, ao menos no DF. Querem impedir, e eu concordo plenamente com isto, é a entrada de BANDOS de pessoas que correm dentro de um local fechado derrubando quem tiver pelo caminho. Rolezinho ou turba?? | Denuncie |

Autor: Anilton Moccio
Esses movimentos sociais estão acirrando os ânimos racistas no país, deveriam orientar esse pessoal que querem o tal rolezinho como se comportar em grupos e em comunidades, se querem ir aos shopping basta ir, porque reunirem alguns milhares para isso? A confusão é inevitável. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas