Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Polícias reforçam policiamento em área onde PM foi morta no Rio Ontem, a PM Alda Rafael foi morta em um ataque à UPP, que deixou ainda outros três feridos

Agência Brasil

Publicação: 03/02/2014 17:19 Atualização:

As polícias civil e militar reforçaram nesta segunda-feira (3/2) o policiamento nas áreas onde atua uma facção criminosa suspeita de matar uma soldado da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), na Vila Cruzeiro, na norte do Rio. No domingo, a PM Alda Rafael foi morta em um ataque à UPP, que deixou mais três feridos.

Hoje, a morte de Alda Rafael, de 27 anos, foi lamentada pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora. A soldado foi enterrada com honras militares, nesta tarde, no Cemitério Jardim da Saudade, na zona oeste. A policial estava na corporação desde 2011 e atuação na UPP onde foi assassinada desde maio de 2013.

Desde agosto do ano passado quatro policiais das UPPs morreram em ataques criminosos durante o serviço. Além de Alda, foi assassinado, em dezembro passado, na mesma comunidade, o soldado Melquizebeque dos Santos Basílio, de 29 anos.

Leia mais notícias em Brasil

O Batalhão de Operações Especiais e o Batalhão de Choque reforçam o policialmento nas comunidades com “focos de resistência ao processo de pacificação”, como a Vila Cruzeiro. As medidas são necessárias, segundo o órgão, para enfrentar o tráfico de drogas, o uso de armas e a ação de criminosos. “Não vai haver recuo”, informa a coordenadoria das UPPs.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.