Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ministro quer melhoria na refrigeração do Santos Dumont até a Copa Trabalho foi apresentado nesta sexta-feira (14/2) em reunião com o ministro da Secretaria da Aviação Civil, Moreira Franco

Agência Brasil

Publicação: 14/02/2014 14:02 Atualização:

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) vai investir R$ 20 milhões no projeto de refrigeração do Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio. O trabalho foi apresentado nesta sexta-feira (14/2) em reunião com o ministro da Secretaria da Aviação Civil, Moreira Franco, na sala da Infraero no aeroporto.

Durante a reunião o ministro recomendou urgência nas obras da primeira etapa, para que sejam concluídas antes da Copa do Mundo, que começa em junho. Na entrevista após a reunião, Moreira Franco disse que a preocupação não é apenas com evento, mas com os usuários do aeroporto. "O nosso problema não é a Copa do Mundo.

Nosso problema é chegar ao terminal de embarque e ter uma temperatura adequada", disse. Segundo o ministro, na primeira etapa, com o custo de R$ 8 milhões, será feita a mudança no sistema de refrigeração da área de embarque, instalada no prédio mais novo do aeroporto. A segunda intervenção será na área de desembarque, onde haverá investimento de R$ 12 milhões.

Leia mais notícias em Brasil

Com o fim da primeira etapa, a temperatura interna no embarque, que hoje está em torno de 27 graus Celsius (ºC), ficará em 22ºC, garantiu o ministro. No prédio antigo, onde está instalada a área de desembarque, de acordo com Moreira Franco, será feita uma reforma com o acompanhamento do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB).

Ele explicou que o prédio não pode sofrer intervenções sem rigorosa avaliação, por ser parte do patrimônio histórico da cidade. "Precisa ser muito bem tratado. Daí porque vai contar com o auxílio do Instituto de Arquitetos do Brasil, para que este projeto atenda às necessidades de garantia da vontade estética daqueles que fizeram o Aeroporto Santos Dumont", contou.

O ministro reconheceu que, no desembarque, a solução para a refrigeração é mais complicada do que no embarque, porque o projeto daquela área é mais antigo. Segundo explicou, no local havia vãos abertos que facilitavam a circulação do ar, mas que, por questão de segurança, foram fechados. Agora, segundo Franco Montoro, será pesquisada uma solução técnica que preserve as características do projeto original do prédio. Para essa área, o objetivo também é manter uma temperatura ambiente de 22ºC. Atualmente, segundo a Infraero, ela chega a 29ºC.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.