Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

São Paulo começa a destruir 13,5 mil carros apreendidos criminalmente Veículos do pátio de Santo Amaro foram arrematados por R$ 808.839,35, em lote único, pela empresa Trufer Comércio de Sucatas Ltda

Agência Brasil

Publicação: 17/02/2014 15:23 Atualização:

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo começou nesta segunda-feira (17/2) a destruir 13,5 mil carros apreendidos criminalmente – produto de delitos como roubo, furto ou estelionato – que estão depositados no Pátio Santo Amaro, na zona sul da capital paulista. A ação pretende liberar espaço nos pátios da cidade, lotados com as carcaças.

Segundo a SSP, com mais espaço, é possível melhorar a logística de apreensão de veículos. Os veículos do pátio de Santo Amaro foram arrematados por R$ 808.839,35, em lote único, pela empresa Trufer Comércio de Sucatas Ltda., que será responsável pela descontaminação, compactação e trituração das carcaças.

“A medida é o primeiro passo para resolver um passivo de mais de 25 anos de veículos apreendidos criminalmente, que foi causado por entraves judiciais que impediam a liberação dos pátios”, destacou, em nota, a SSP.

leia mais notícias em Brasil

Em maio do ano passado, a Justiça autorizou que fossem realizados leilões dos 45 mil veículos apreendidos nos 45 pátios da cidade de São Paulo, atendendo a pedido da SSP. No entanto, para que seja feita a destruição, é necessária a autorização de cada juiz responsável pelos processos a que os veículos estão vinculados. Até o momento, a Polícia Civil recebeu autorização judicial para que cerca de 50% das carcaças do Pátio Santo Amaro sejam destruídas.

A destruição do veículo é realizada por meio de um processo de compactação, que recolhe todos os detritos e resíduos das carcaças. Baterias, pneus e catalisadores são retirados antes do procedimento e recebem destinação de acordo com as normas ambientais.

O equipamento de destruição, semelhante a uma prensa, conta com câmeras que registram a data e a hora da compactação. Um tanque separa os fluídos dos veículos, como água e combustível, que são extraídos durante o processo. A sucata é removida à empresa para ser reciclada.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas