Brasil
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Dilma participa de inauguração do estádio Beira Rio, em Porto Alegre O estádio, que fica às margens do Rio Guaíba, passou por obras de modernização que custaram R$ 330 milhões e duraram 24 meses

Agência Brasil

Publicação: 20/02/2014 10:20 Atualização: 20/02/2014 11:08

Durante inauguração, Dilma assina uma bola próxima ao secretário-geral da FIFA, Jérõme Valcke, e do ex-jogador Ronaldo (Jefferson Bernarder/AFP Photo )
Durante inauguração, Dilma assina uma bola próxima ao secretário-geral da FIFA, Jérõme Valcke, e do ex-jogador Ronaldo


Ao lado de jogadores do Internacional, a presidente Dilma Rousseff deu nesta quinta-feira (20/2) o pontapé simbólico durante a  visita inaugural da Arena Beira-Rio, um dos 12 estádios da Copa, em Porto Alegre. A presidente andou pelo estádio na companhia do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, do prefeito da capital,  José Fortunati, do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e do ex-jogador Ronaldo. Ela conversou e deu autógrafos a operários que trabalharam nas obras.

O estádio, que fica às margens do Rio Guaíba, passou por obras de modernização que custaram R$ 330 milhões e duraram 24 meses. A arena receberá cinco jogos da Copa do Mundo entre os dias 15 e 30 de junho e tem capacidade para 50 mil torcedores. Do lado de fora, é possível ver a fachada remodelada e a cobertura em formato de folhas. Internamente, foi mantida a estrutura original e feitas mudanças nas arquibancadas e instalações para o maior conforto do público,  incluindo áreas vip, substituição do gramado e dos sistemas elétrico e hidráulico, complementação dos sistemas de informação e um edifício-garagem com 3 mil vagas de estacionamento.

Leia mais notícias em Brasil


No início da semana, houve um impasse sobre a construção de estruturas complementares temporárias da Copa na cidade-sede. Dirigentes do Internacional, proprietário da arena, disseram que o clube não aceitaria arcar sozinho com os custos extras, avaliados em aproximadamente R$ 30 milhões. Como a Fifa informou que não havia possibilidade de arcar com as estruturas, como o espaço adicional para a mídia, consideradas necessárias para a realização da competição, estado e município trabalharam em conjunto para buscar uma solução.

Em nota divulgada hoje, a Fifa informou que a solução para viabilizar as estruturas complementares envolvem duas medidas: um projeto de lei que possibilita a captação de recursos privados e a mobilização de estruturas permanentes que sirvam a políticas públicas da cidade e do estado. O projeto de lei, protocolado pelo governo do Rio Grande do Sul, prevê incentivos fiscais até o limite de R$ 25 milhões a empresas que bancarem as estruturas e também a permissão para uso de espaços publicitários durante a Copa.

A presidente ainda cumprirá outras agendas hoje no Rio Grande do Sul. De Porto Alegre, ela viaja para Caxias do Sul, onde entrega máquinas agrícolas a 118 municípios. A partir das 15h, Dilma participará da abertura da 30ª edição da Festa da Uva, no Parque de Eventos de Caxias do Sul. No fim da tarde, ela embarca para Roma, na Itália. Nos próximos dias, a presidente terá compromissos no Vaticano, entre eles uma reunião com o papa Francisco.

 

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: ANTONIO LIMA
De inauguração em inauguração, a Dilma será eleita. Enquanto isso, a saúde, a educação, a infraestrutura, o saneamento básico, etc, estão jogados às traças. Nosso país está piorando um bocado, a cada ano. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas