Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Bloco Senta Que Eu Empurro faz desfile inclusivo na zona sul do Rio A porta-bandeira do bloco é a pentacampeã brasileira de dança em cadeira de rodas, Viviane Macedo

Agência Brasil

Publicação: 21/02/2014 20:08 Atualização: 21/02/2014 20:08

Pelo sétimo ano consecutivo, a administradora de empresas Ana Cláudia Monteiro, cadeirante, leva às ruas do Catete, zona sul do Rio de Janeiro, o bloco Senta Que Eu Empurro. Ele sai no próximo dia 28/2, “sempre na sexta-feira que precede o carnaval”, disse Ana Cláudia hoje (21/2).

A ideia do bloco surgiu de um grupo de pessoas que trabalhavam no Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência (IBDD) e que gostavam muito de carnaval. Um dia, a psicóloga Márcia Benevides, deficiente visual, que trabalhava com o grupo, manifestou o desejo de saber qual era a sensação de andar de cadeira de rodas. “Então, alguém falou: Senta que eu empurro, Márcia. Na hora, a gente pensou: poxa, dá um bloco de carnaval, vamos fundar. No grupo, tinha um jornalista e ele espalhou a notícia. Fez uma matéria falando do bloco e a gente foi obrigado a botar o bloco na rua”, disse Ana.

Leia mais notícias em Brasil

De acordo com cálculos da Polícia Militar e da Guarda Municipal, cerca de 2 mil pessoas participaram do desfile no ano passado. Ana Cláudia disse que vem gente de fora do Rio especialmente para desfilar no bloco. “Em geral, são muitas pessoas com deficiência, de todas as partes que você puder imaginar. Gente de São Paulo, do Maranhão, de Minas Gerais, que vem só para o desfile do bloco, além de pessoas com deficiência do Rio e moradores do bairro, que têm um carinho especial pelo bloco”.

Ana Cláudia disse que o Senta Que Eu Empurro é um bloco que prima pela inclusão. “A ideia é essa. É mostrar que todo mundo pode brincar o carnaval, cada um à sua maneira”.

A turma começará a se concentrar dia 28/2 a partir das 18 horas, na Rua Artur Bernardes, número 26. A saída do desfile está marcada para às 20 h. Depois de percorrerem várias ruas do bairro, os integrantes do bloco encerram o desfile no estabelecimento Paraíso do Chope. “Termina tudo com uma chopada”.

A porta-bandeira do bloco é a pentacampeã brasileira de dança em cadeira de rodas, Viviane Macedo. A madrinha de bateria é uma anã passista de escola de samba, Viviane Alves de Assis. Outra passista é a primeira repórter com Síndrome de Down do Brasil, Fernanda Honorato. Fernanda é apresentadora do Programa Especial da TV Brasil.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas