Brasil
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Metade das escolas particulares tem desempenho igual às públicas no Enem De cada 10 alunos das escolas privadas que fizeram a prova, cinco deles atingiram até 560 pontos

Daniela Garcia - Correio Braziliense

Publicação: 24/02/2014 06:00 Atualização: 24/02/2014 08:25

Marcus Mattos: ele percebeu que o filho Bruno não tinha conhecimento de algumas matérias básicas, como matemática e física (Janine Moraes/CB/D.A Press)
Marcus Mattos: ele percebeu que o filho Bruno não tinha conhecimento de algumas matérias básicas, como matemática e física

Embora propagandas de escolas particulares prometam sucesso absoluto no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cerca de metade dos alunos da rede privada tiveram um desempenho igual ou abaixo da média na prova em 2013, aponta levantamento da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Utilizando os dados mais recentes do Ministério da Educação (MEC), o estudo mostra que, de cada 10 alunos das escolas privadas que fizeram a prova, cinco deles atingiram até 560 pontos do exame, que pode valer até 1.000 pontos. A análise ainda revela que 52% dos estudantes do ensino privado têm resultado equivalente àqueles que vêm de escolas estaduais.

Autor do estudo da USP, Ocimar Alavarse explica que os cálculos foram feitos com os dados da distribuição de notas de alunos, tanto da rede pública quanto da privada, em vez de utilizar as médias já divulgadas pelo MEC. Segundo o levantamento, 98% dos alunos das redes estaduais de todo o Brasil alcançaram até 560 pontos no Enem, sendo que a média foi de 479,4 pontos. Já entre as escolas particulares, 52% dos estudantes atingiram até 560 pontos e a média foi um pouco maior: 558,1 pontos. “A média sempre oculta uma variabilidade dos resultados. Com esses dados, podemos ver que, na verdade, aproximadamente metade das escolas privadas atingiram a pontuação que a maioria das escolas públicas consegue”, argumenta.

Leia mais notícias de Brasil

Alavarse avalia que as escolas privadas também estão falhando na preparação dos alunos para o Enem. Segundo ele, a média de 560 pontos é muito baixa para alcançar as notas de corte do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) nos cursos mais concorridos das universidades. Na Universidade de Brasília (UnB), por exemplo, o estudante teve que fazer, no mínimo, 745,66 pontos no Enem, para tentar uma vaga em direito pelo Sisu neste ano.

O professor diz também que é ilusão acreditar que a maioria das escolas particulares se sai melhor no Enem do que as instituições estaduais. Morador da Asa Sul, o estatístico Marcus Mattos Riether, 50 anos, conta que ficou “incomodado” ao descobrir que o filho não havia aprendido todo o conteúdo exigido pelo Enem, ao concluir o 3º ano do ensino médio em uma escola particular da região. “Como o Bruno não passou de primeira na Universidade de Brasília (UnB), ele foi para um cursinho. Lá, ele percebeu que não tinha conhecimento de algumas matérias de matemática e física”, lembra. Depois de fazer um semestre no pré-vestibular, Bruno ingressou no curso de engenharia mecatrônica na UnB.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Maria do Socorro Fernandes
Não adianta escola boa, se o aluno não se dedicar. Meu cunhado mesmo, que só tem o supletivo, conseguiu 660 pontos no último ENEM. Sendo aprovado para Direito na UFMT e Filosofia na UnB com 647 pontos. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.