Brasil
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Caso Adidas é o segundo em dez dias que relaciona Brasil ao turismo sexual um jornal catarinense de grande circulação veiculou um encarte turístico direcionado a estrangeiros com fotos de mulheres seminuas

Agência Brasil

Publicação: 25/02/2014 19:21 Atualização:

O presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Flávio Dino, disse hoje em coletiva à imprensa que o caso das camisetas da Adidas é o segundo de grandes proporções em menos de dez dias que relaciona o Brasil ao turismo sexual. O governo brasileiro pretende se reunir com a Fifa e com os patrocinadores da Copa do Mundo para discutir o tema e montar uma estratégia de combate à exploração sexual. "Felizmente [no caso Adidas] prevaleceu o bom senso e a empresa viu que era uma prática comercial totalmente lesiva no que se refere ao mercado brasileiro", avaliou Dino.

Leia mais notícias em Brasil

Há cerca de 10 dias, um jornal catarinense de grande circulação veiculou um encarte turístico direcionado a estrangeiros com fotos de mulheres seminuas. A Embratur entrou em contato e manifestou-se contra a publicação e o jornal retratou-se. Em seguida, a Adidas lançou uma camiseta em edição especial da Copa do Mundo no Brasil com figuras que vinculam o Brasil ao turismo sexual. Depois de notificação da Embratur, a empresa anunciou que vai tirar do mercado as camisetas.

Segundo Dino, do ponto de vista quantitativo a modalidade de turismo sexual não são expressivos. "Em 2013 os casos foram muito raros", defendeu, acrescentando que a Embratur parte de denúncias. Em 2013 foi registrado apenas um caso, de uma agência de turismo americana que vendia pacotes para turismo sexual no Amazonas travestido de pacote de pesca. O presidente reconhece que há uma subnotificação de casos, mas há um trabalho do governo para combater essa associação.

"Queremos uma Copa acolhedora, cordial. Sabemos que a maioria dos estrangeiros que nos visita tem um espirito de festa, que faz parte da cultura brasileira. Mas isso não quer dizer que vale tudo", defendeu Dino.

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: thais fernandes
Uma tremenda ofensa. Um país de pessoas recatadas. Praticamente muçulmano. Senti-me muito ofendida. Ainda bem q vem aí o carnaval para desfazer essa imagem. | Denuncie |

Autor: Maria do Socorro Fernandes
E a ADIDAS e quem quer que seja, que vincule o Brasil ao turismo sexual, estão mentindo? O governo brasileiro, que financia movimentos ligados ao sexismo, é hipócrita. E nosso carnaval, com mulheres nuas expostas em via pública, é mentira? QUE MUNDO HIPÓCRITA! | Denuncie |

Autor: terezinha calixto
PORQUE A ADIDAS NÃO FAZ ISSO NA EUROPA,EUA E OUTROS PAISES ONDE AS LEIS SÃO MAIS RIGIDAS?? | Denuncie |

Autor: terezinha calixto
vender a moral,o respeito, a dignidade alheia e plantar traumas é prática de quem não tem sentimentos humanos e não conhece o significado de valores morais. | Denuncie |

Autor: terezinha calixto
Precisamos nos concientizar,das concequencias futuras que nos traz esse sub mercado.que so enteressa aqueles que não tem a minima conciência de dignidade e respeito, nem a ele e nem ao próximo. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.