Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Transferência assistida poderá ser feita com documentação incompleta Três instituições venceram os editais de transferência assistida divulgada no dia 21 de fevereiro

Agência Brasil

Publicação: 26/02/2014 19:12 Atualização: 26/02/2014 19:14

As universidades Estácio de Sá (Unesa), Veiga de Almeida (UVA) e a Faculdade de Tecnologia Senac Rio (Fatec) foram orientadas a receber a documentação incompleta para fazer a matrícula dos estudantes da Gama Filho e da UniverCidade, devido à dificuldade que os alunos estão tendo em conseguir os papéis necessários com o Grupo Galileo Educacional, mantenedora das duas instituições descredenciadas pelo Ministério da Educação (MEC). As três instituições venceram os editais de transferência assistida divulgada no dia 21 de fevereiro.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira (26/2) pelo Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon) da Defensoria Pública do Rio de Janeiro e confirmada pelo MEC. De acordo com o Nudecon, o Grupo Galileo tem até sexta-feira (28/2) para entregar a documentação para os estudantes, conforme decisão liminar, mas não está cumprindo a ordem judicial.

Leia mais notícias em Brasil

Grandes filas se formaram nesta quarta-feira (26/2) na Rua Gonçalves Dia, no centro, dia previsto para os alunos de ciências contábeis, administração, marketing e relações internacionais das unidades Centro e Madureira da UniverCidade receberem documentos e certificados. Agentes do Procon-RJ estiveram no local e constataram a ineficiência na distribuição de documentos como certificados de conclusão de curso e históricos escolares para a transferência assistida.

De acordo com o órgão de defesa do consumidor, apenas dois funcionários estavam no local, onde funcionava a UniverCidade, e a fila dava volta no quarteirão. Os documentos estavam impressos e era necessário a conferência manual para encontrá-los, além de estarem disponíveis apenas documentos a partir do segundo semestre de 2013.

Com isso, o Proco-RJ autuo o Grupo Galileo por má prestação de serviço, feito “de forma precária e em local inadequado”, além do descumprimento do cronograma previsto.

A Galileo Educacional informou que só vai se pronunciar sobre a questão depois que for notificada oficialmente.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas