Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Paulo Goulart: relembre as seis décadas de carreira do ator pioneiro na TV Artista manteve por 62 anos o compromisso com a profissão e casamento com a atriz Nicette Bruno

Estado de Minas

Bossuet Alvim

Publicação: 14/03/2014 09:15 Atualização: 14/03/2014 09:22


Cena da peca teatral O homem inesperado com Paulo Goulart e Nicette Bruno
Estreante no rádio ainda na adolescência, Paulo Goulart deu os primeiros passos em frente às câmeras quando a TV brasileira ainda engatinhava. Em mais de 60 anos, o ator trabalhou em pelo menos 50 produções nas telinhas, entre novelas e minisséries. Seu talento consagrou personagens fortes como o vilão Donato, de 'Mulheres de areia' (1993) e Altair, de 'O dono do mundo' (1991).

Nos cinemas, atuou em cerca de trinta títulos e deu vida a João Fulgêncio no clássico 'Gabriela, cravo e canela' (1983), de Bruno Barreto. Em seu último trabalho nas telonas, interpretou o Coronel Ricardo Amaral Neto na adaptação dirigida por Jayme Monjardim da trilogia 'O tempo e o vento', de Érico Veríssimo. A derradeira aparição na TV aconteceu na série 'Louco por elas', em 2012, quando interpretou Horácio.

Caminhando com a TV

Foi em 1951, aos 17 anos, que o jovem nascido em Ribeirão Preto passou a integrar o quadro de funcionários da recém-inaugurada TV Tupi, em São Paulo. A oportunidade surgiu porque o canal apropriou-se dos empregados da Rádio Tupi, onde o rapaz já exercitava o vozeirão. A primeira aparição de Goulart na telinha foi ao lado de Mazzaropi, astro da comédia nacional.
Longa relação do ator com a TV Globo incluiu protagonistas como Flávio, de 'Verão vermelho' (1969) (TV Globo/Divulgação)
Longa relação do ator com a TV Globo incluiu protagonistas como Flávio, de 'Verão vermelho' (1969)

A trajetória do ator em telenovelas teve início um ano mais tarde, na TV Paulista, pelas mãos de Manoel Carlos. À época iniciante, o autor assinava a adaptação do romance 'Helena', de Machado de Assis, e incluiu o jovem artista em seu elenco.

Também em 1952 veio a primeira chance de Paulo Goulart no teatro, em uma companhia que contava com a jovem atriz Nicette Bruno entre os membros. Os colegas de profissão casaram-se meses depois do primeiro encontro e mantiveram-se unidos por 62 anos, até a morte de Paulo nesta quinta-feira, 13.
Paulo Goulart e Nicette Bruno mantiveram-se unidos desde 1952 (TV Globo/Divulgação)
Paulo Goulart e Nicette Bruno mantiveram-se unidos desde 1952

Ao lado de Grande Otelo e Jece Valadão, estreou no cinema sob direção de Nelson Pereira dos Santos no drama 'Rio, Zona Norte', de 1957. A relação com a TV Globo começou em 1968, com a novela 'A cabana do Pai Tomás'. A longa carreira de Paulo Goulart foi marcada por sua trajetória na emissora, onde viveu personagens como Gino, de 'Plumas e paetês' (1980), Marcos Labanca em 'Roda de fogo' (1986) e Tibério Vacariano em 'Incidente em Antares' (1994), outra adaptação da obra de Érico Veríssimo.

O casamento de seis décadas do ator com Nicette Bruno gerou os filhos Paulo Goulart Filho, ator e dançarino, e as atrizes Beth Goulart e Bárbara Bruno.
Paulo com Nicette e as filhas, Bárbara Bruno e Beth Goulart, que também são atrizes (TV Globo/Divulgação)
Paulo com Nicette e as filhas, Bárbara Bruno e Beth Goulart, que também são atrizes

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas