Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Governo do Rio fará reajuste em tarifa de transporte, mas amplia benefícios Isuários que tem o cartão Bilhete Único Intermunicipal continuarão pagando o preço sem aumento

Agência Brasil

Publicação: 18/03/2014 15:14 Atualização:

O governo do Rio de Janeiro anunciou nesta terça-feira (18/3) reajustes das tarifas de trens e metrô. Publicado no Diário Oficial do estado, o aumento sai no mesmo dia em que o governo estadual coloca em vigor as tarifas sociais, que são mais baixas, para os modais. Com isso, os usuários que tem o cartão Bilhete Único Intermunicipal continuarão pagando o preço sem aumento.

Previsto para começar a valer em 60 dias, o bilhete dos trens subirá de R$ 2,90 para R$ 3,20 e o de metrô de R$ 3,20 para R$ 3,50. O reajuste se baseou no aumento da inflação e estava previsto nos contratos com as concessionárias, segundo a agência reguladora. Com os preços congelados desde as manifestações de meados de 2013, esta é a primeira tentativa de o governo elevar as tarifas.

Para diminuir o impacto sobre o usuário, paralelamente ao anúncio do aumento das tarifas, o governo confirmou que os portadores do Bilhete Único vão pagar o preço antigo. O cartão é emitido sem custos por agências cadastradas e recebe o pagamento antecipado, com direito a pegar mais de um modal. Quem comprar com dinheiro, nos guichês, paga a tarifa nova.

Segundo a Casa Civil, a decisão é de “subsidiar as concessionárias para que o aumento não seja repassado ao usuário”. No entanto, na avaliação do Movimento Passe Livre (MPL), que organizou protestos ao longo de 2013 e no início deste ano pela universalização do transporte público, a decisão “engana” o usuário.

Leia mais notícias em Brasil

Segundo o ativista José de Abraão, o governo subsidia os transportes com a redução de impostos de energia elétrica e de combustível, por exemplo, mas não garante contrapartidas e acesso universal. "Defendemos que todos possam usar o sistema", disse.

O Passe Livre também questiona o reajuste das tarifas no mesmo momento em que há aumento de usuários, como no metrô. “Com o caos no centro do Rio, é notável o aumento de passageiros no metrô”, disse Abraão. “Mas com o reajuste para quem não tem cartão, que é uma parcela considerável e com mais pagantes, quem ganha mais: o trabalhador ou o empresário?”

A concessionária de metrô no Rio confirmou aumento de 738 mil passageiros por dia, entre dezembro e janeiro, para 800 mil, em fevereiro. No período, o sistema sofreu interrupções por uma série de falhas. A mais recente, na semana passada, na estação de energia, está sendo investigada pela agência reguladora. Na última semana, os trens da SuperVia descarrilaram pelo menos duas vezes. Em janeiro, a concessionário sofreu um colapso por mais de dez horas no serviço.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas