Brasil
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasileiros se unem em projeto para homenagear Cláudia Ferreira O projeto '100 vezes Cláudia' destaca as principais qualidades da mãe de família que se tornou protagonista dos brasileiros que clamam por mais segurança

Mirelle Pinheiro

Publicação: 20/03/2014 12:53 Atualização: 20/03/2014 13:17

Cláudia Silva Ferreira, 38 anos, casada, quatro filhos. O Brasil conheceu essa carioca por meio de uma das imagens mais fortes registrada nos últimos meses. Muitos não a identificam pelo nome, ou pela história de vida, mas pelas manchetes dos jornais sobre a 'mulher que foi arrastada por uma viatura da Polícia Militar', em Madureira, Rio de Janeiro. A cena jamais será esquecida pela família, que convive com a sensação de impunidade.

Leia mais notícias em Brasil

Em meio ao cenário de barbárie, artistas e parte comunidade se uniram e foram contra a maré de más notícias e imagens revoltantes. O projeto '100 vezes Cláudia' destaca as principais qualidades da mãe de família que se tornou protagonista dos brasileiros que clamam por mais segurança. A iniciativa é do site Olga, que se disponibilizou em imprimir as imagens e entregá-las a família Ferreira. Saiba como participar clicando aqui.

Relembre o caso

Cláudia foi baleada ao sair para comprar pão em um comércio na comunidade em que morava. A vítima foi alvejada por um tiro quando caminhava na parte alta da favela. No momento do disparo, policiais militares trocavam tiros com traficantes. Os PMs colocaram a auxiliar de serviços gerais na viatura, para levá-la ao hospital, contudo, a porta traseira do veículo se abriu e ela foi arrastada pelo asfalto. O fato foi gravado por um cinegrafista amador.

 (SOUEID)

Também não sou artista. Sou apenas uma pessoa que busca lidar com esse sentimento de perda e de desesperança diante da irracionalidade desta execução. Meu desenho me ajudou a respirar e a abraçar Cláudia, que partiu inocente e despreocupada, rumo à fila do pão. Daiany Dantas (Daiany Dantas)
Também não sou artista. Sou apenas uma pessoa que busca lidar com esse sentimento de perda e de desesperança diante da irracionalidade desta execução. Meu desenho me ajudou a respirar e a abraçar Cláudia, que partiu inocente e despreocupada, rumo à fila do pão. Daiany Dantas

 ( PEDRO MAGALHÃES)

Envio minha singela homenagem à esta mulher, vítima do descaso, da falta de amor, da falta de respeito pela vida humana. Nice Lopes (Nice Lopes)
Envio minha singela homenagem à esta mulher, vítima do descaso, da falta de amor, da falta de respeito pela vida humana. Nice Lopes

 (GABRIELA CAMPANER)
Tags:

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: eu souza
Será que -o pessoal dos direitos humanos entraram em contato com a familia ? SE fosse um marginal,,, com certeza já. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas