Brasil
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pré-vestibular de Montes Claros cobra R$ 400 por cadeiras na primeira fila O Ministério Público Estadual e o Programa de Defesa do Consumidor (Procon) receberam a denúncia de um dos alunos e interviram. Cursinho suspendeu a taxa

Estado de Minas

Publicação: 20/03/2014 22:17 Atualização:

Cadeiras 'privilegiadas' têm a cor branca enquanto que as restantes são azuis (EstudanteVT/Divulgação)
Cadeiras 'privilegiadas' têm a cor branca enquanto que as restantes são azuis

Um cursinho pré-vestibular particular de Montes Claros, Região Norte de Minas Gerais, decidiu cobrar mais caro dos estudantes que sentarem nas cadeiras situadas na parte da frente das salas. O valor da “área vip”, fixado em R$ 400 por ano, dividido em quatro pagamentos, gerou reclamação por parte dos alunos. O Ministério Público Estadual (MPE) e o Programa de Defesa do Consumidor (Procon) receberam a denúncia de um dos alunos e intervieram. Por isso, o cursinho anunciou a suspensão da cobrança.

Leia mais notícias em Brasil

Nas salas de aula do estabelecimento, que funciona no segundo pavimento de um shopping center da cidade, também foi afixado um comunicado do Procon Municipal e do MPE, que esclarece sobre a proibição de cobrar pelos assentos da “área vip” na sala de aula e informa que os lugares do setor devem ser reservados, prioritariamente, para portadores de deficiências. “É proibida a cobrança diferenciada de alunos do mesmo curso pré-vestibular em função de localização de assento de idêntico conforto ergonômetro na mesma sala de aula, devendo a prioridade na sua ocupação ser de consumidores portadores de necessidades especiais e, na falta deles, alunos que chegarem primeiramente à sala de aula, vedada ainda a reserva de assento a favor de aluno sem necessidades especiais que ali não chegaram”, diz.

Comunicado colocado nas salas nesta quinta-feira (EstudanteVT/Divulgação)
Comunicado colocado nas salas nesta quinta-feira
Em nota divulgada no início da tarde desta quinta-feira (20/3), o cursinho pré-vestibular anunciou a suspensão da cobrança. O estabelecimento diz que: “mediante a recomendação extraoficial do Ministério Público, mesmo entendendo não existir irregularidade legal na prática exercida, sensível à repercussão da mesma na sociedade, decidiu não seguir com este procedimento nas salas de seus cursos pré-vestibulares.

O educandário argumenta que os “assentos personalizados” foram implantados “À luz de orientação jurídica”, buscando “assegurar comodidade aos alunos dos cursos pré-vestibular”, Informou ainda que as cadeiras numeradas com cobrança adicional são “opcionais” e correspondem a 10% do total de cadeiras dentro de sala de aula.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Alan Alves Silva
Na verdade, tinha era que ter fechado o cursinho imediatamente. Esse país esta tão bagunçado, que eu pensei que já tinha visto de tudo, mas a cada dia eu me surpreendo. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas