Brasil
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Moradores da Maré (RJ) denunciam abusos durante abordagens policiais Um adolescente denunciou que policiais arrombaram a porta e entraram na casa dele

Agência Brasil

Publicação: 26/03/2014 18:19 Atualização:

Moradores do Complexo da Maré denunciaram abusos da Polícia Militar (PM) durante as abordagens da operação que antecede a ocupação da comunidade pelo Exército. A maior parte das denúncias envolve militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que estão na Maré desde a última sexta-feira (21/3). Os moradores também relataram que nem todos os PMs estão usando identificação nos uniformes, o que foi constatado pela reportagem da Agência Brasil, na tarde desta quarta-feira (26/3).

“Eles estão esquecendo que somos trabalhadores. Levaram uma televisão de 32 polegadas de uma senhora. Estragaram a fechadura da minha porta. Eu sou trabalhador. Estou revoltado por causa disso. Foi hoje, entre as 9h e as 10h", contou um morador que se identificou como João e disse trabalhar como pedreiro. “Eles estão entrando porta adentro. Não tem diálogo”, completou outro morador, que não informou o nome

Leia mais notícias em Brasil

“Estão entrando na casa dos moradores, estourando vidro de carro. Se damos bom dia, eles saem xingando. É muito abuso. A gente quer é políticas públicas aqui dentro. Que melhorem os serviços”, desabafou a presidenta de uma associação de moradores que se identificou como Andrea.

Um adolescente denunciou que policiais entraram na casa dele, arrombando a porta. “Minha mãe estava dormindo. Quebraram móveis e mexeram na geladeira”, contou ele, enquanto observava a movimentação de homens do Bope que estavam fazendo escolta para militares do Exército em operação de busca de armas e drogas no complexo.

Procurada para se posicionar sobre as denúncias, a PM se pronunciou por nota. “O comando do Bope não tem conhecimento dessa denúncia". Segundo a corporação, eventuais problemas de conduta dos policiais podem ser informados, por telefone, à Corregedoria da Polícia Militar (21 2332-2341) ou à ouvidoria (21 3399-1199) ou ainda pelo e-mail ouvidoriadapolicia@proderj.rj.gov.br.

Sobre a denúncia dos moradores de que parte dos policiais não usa o nome na farda, a assessoria da PM informou: “Todos os coletes utilizados pela tropa possuem uma numeração em local visível. Essa é mais uma forma de identificar o policial em serviço”.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: José Corrêa
Continuando o coment´rio anterior, foi mostrado no Parque da cidade um indivíduo de bermuda ameaçando com uma arma um casal de idoso, problema de trânsito. A patrulhinha foi e não o conduziu até uma Delegacia, por que?Seria ele um policial? Se for, belo exemplo. | Denuncie |

Autor: José Corrêa
A polícia tem que entender que não é com violÇência que combate a violência. Aqué em Brasília, a truculência da polícia foi verificada nas manifestações da BR-060 e na estrutural e a mídia não comentou nada sobre o acontecimento. O povo sente órfão quando a imprensa omite. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas