Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Prefeitura do Rio implode mais 300 metros do Elevado da Perimetral As detonações fizeram parte da terceira das cinco etapas da derrubada, que agora será feita apenas com o desmonte da estrutura remanescente sobre a Avenida Rodrigues Alves

Agência Brasil

Publicação: 20/04/2014 10:56 Atualização: 20/04/2014 11:09

Com 250 quilos de explosivos, a prefeitura do Rio de Janeiro implodiu, às 7h deste domingo (20/4), mais 300 metros do Elevado da Perimetral. As detonações fizeram parte da terceira das cinco etapas da derrubada, que agora será feita apenas com o desmonte da estrutura remanescente sobre a Avenida Rodrigues Alves, na zona portuária do Rio. Ao todo, 1.750 metros já foram destruídos.

O trecho implodido neste domingo de Páscoa se estendia do 1º Distrito Naval à sede da Polícia Federal (REUTERS/Ricardo Moraes)
O trecho implodido neste domingo de Páscoa se estendia do 1º Distrito Naval à sede da Polícia Federal

O trecho implodido neste domingo de Páscoa se estendia do 1º Distrito Naval à sede da Polícia Federal. A área, que inclui a Praça Mauá, é uma das principais apostas da prefeitura na revitalização da zona portuária. Além de incluir prédios icônicos da cidade como o Edifício A Noite, sede histórica da Rádio Nacional, e o Píer Mauá, a praça vem recebendo novos equipamentos culturais, como o Museu de Arte do Rio, já inaugurado, e o Museu do Amanhã, que ainda está em construção.

"É uma parte importante que está sendo devolvida à população. A Praça Mauá é um marco histórico dessa cidade", disse o prefeito Eduardo Paes, que acionou o detonador da implosão. "A gente espera devolver esses espaços à população como espaços de convívio, de caminhada e de lazer. Enfim, tirando esse monstrengo da nossa frente, a cidade vai se encontrando com o mar".

Leia mais notícias em Brasil

A demolição desse trecho gerou em torno de 10 mil toneladas de entulho, que devem levar até 30 dias para serem removidas. O impacto de todo esse peso foi absorvido por uma camada de material retirado das escavações do túnel, que receberá a via expressa substituta do elevado, além de colunas de pneus e sacos de areia. A liberação do trânsito no trecho da Avenida Rodrigues Alves, que estava em uso antes da demolição, no entanto, está programada para o dia 24, depois do feriadão que, no Rio, é prolongado com o Dia de São Jorge (23 de abril).

Equivalente à carga de 300 a 400 caminhões, o entulho será reciclado e ficará em um depósito na própria zona portuária, guardado para a pavimentação das ruas da região. A previsão do diretor presidente da Concessionária Porto Novo, José Renato Ponte, é que até o fim do ano a perimetral seja inteiramente demolida, para que a revitalização do porto termine no primeiro semestre de 2016.

A demolição do trecho foi feita por implosão, devido ao tipo de estrutura usada na construção, explicou Ponte: "Se fosse feito o desmonte nessa parte, os cabos de aço poderiam chicotear as equipes de trabalho". A parte restante, em que há vigas, poderá ser desmontada, o que também vai evitar que o viaduto cause danos aos armazéns da Avenida Rodrigues Alves, muito próximos à estrutura.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas