Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Idosa morre em tiroteio no Complexo do Alemão e moradores protestam Vítima chegou a ser levada por moradores para UPA do Alemão, mas não resistiu aos ferimentos

Agência Brasil

Publicação: 28/04/2014 10:09 Atualização:

Uma mulher morreu ao ser atingida por disparos de arma fogo na comunidade da Nova Brasília, no Complexo do Alemão, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro, na noite desse domingo (27/4). De acordo com a Polícia Militar, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade faziam o patrulhamento da Rua 2, quando criminosos começaram a atirar contra eles.

Complexo do Alemão: após tiroteio houve protesto e reforço do policiamento (Pilar Olivares/Pilar Olivares)
Complexo do Alemão: após tiroteio houve protesto e reforço do policiamento


Os policiais revidaram e houve troca de tiros. A vítima, Arlinda Bezerra de Assis, de 71 anos, chegou a ser levada por moradores para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão, mas não resistiu aos ferimentos.

Moradores fizeram um protesto pela morte da vítima na Estrada do Itararé, uma das principais vias de acesso ao Complexo do Alemão. Segundo a Polícia Militar, Objetos em chamas, garrafas e pedras foram atiradas contra os policiais. Dois adolescentes foram presos ao tentar atear fogo em um ônibus. A base da UPP também foi atacada a tiros.

Leia mais notícias em Brasil

Policiais de outras UPPs e de outros batalhões, como o de Operações Especiais (Bope) e o de Choque, reforçam o policiamento no Complexo do Alemão e no entorno.

Na manhã de ontem, policiais da UPP do Parque Proletário, no vizinho Complexo da Penha, prenderam um suspeito de participar dos assassinatos dos policiais Alda Rafael Castilho, em 2 de fevereiro deste ano, e Leidson Acácio, subcomandante da UPP da Vila Cruzeiro, em 13 de março.

Contra o suspeito, havia três mandados de prisão por homicídio, entre eles o assassinato da soldado Alda. Ele foi encontrado na laje de uma casa na Rua 13, no Parque Proletário, e, segundo a polícia, ofereceu R$ 100 mil aos policiais da UPP, para que não fosse preso.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas