Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Justiça do Rio de Janeiro transfere chefe do tráfico para presídio federal Bruno Eduardo Procópio da Silva, conhecido como Piná, integra a cúpula de uma facção criminosa

Renata Mariz

Publicação: 30/04/2014 08:17 Atualização: 30/04/2014 08:28

Passageiro observa carcaça de um ônibus queimado no Morro do Alemão (Ricardo Moraes/Reuters)
Passageiro observa carcaça de um ônibus queimado no Morro do Alemão


A Justiça do Rio de Janeiro autorizou, a pedido da Secretaria de Segurança Pública do estado, a transferência de Bruno Eduardo Procópio da Silva, conhecido como Piná, para um presídio federal, cuja localização não foi divulgada. Segundo o despacho judicial, “é imperioso afastar o apenado das suas bases de atuação, dificultando o fluxo de informações”.

Nos autos do processo, a Secretaria de Segurança Pública declara que Piná integra a cúpula de uma facção criminosa e participou de ações violentas, como os tiros disparados durante a Corrida da Paz, em maio do ano passado no Complexo do Alemão, no Rio —da qual participou o secretário de Segurança José Mariano Beltrame —, e os ataques à sede do Grupo Afroreggae, em agosto, no mesmo local.

Leia mais notícias em Brasil

Para garantir a transferência, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, fez contato com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e com a presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargadora Leila Mariano. Nas conversas, ele pediu apoio para efetivar a ida de Piná para um presídio federal de segurança máxima.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas