Brasil
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Jair Rodrigues teve carreira marcada por sucessos e irreverência no palco Cantor morreu nesta quinta-feira, aos 75 anos, na cidade de Cotia, em São Paulo

Estado de Minas

Fernanda Machado

Publicação: 08/05/2014 12:42 Atualização: 08/05/2014 12:47

 (Tv Globo/Divulgação)

Jair Rodrigues, cantor paulista que faleceu nesta quinta-feira, teve a carreira marcada por interpretações de grandes sucessos nacionais, além de parcerias com nomes de extrema relevância na música brasileira. Nascido em Igarapava, interior de São Paulo, em 6 de novembro de 1939, o cantor se envolveu com o mundo da música ainda no fim da década de 1950, ao mudar-se para a cidade de São Carlos. Como 'crooner', cantou em boates da região e fez as primeiras participações como calouro na Rádio São Carlos.

Apesar do reconhecimento ter vindo principalmente após a apresentação da canção 'Disparada', de Geraldo Vandré e Théo de Barros, no Festival de Música Popular Brasileira em 1966, a luta do cantor para se destacar no cenário musical brasileiro começou mesmo a partir de 1960, quando ele se mudou para São Paulo determinado a viver da sua voz. Jair participou, então, de diversos programas de calouro, e chegou a levar o primeiro lugar no 'Programa de Cláudio de Luna'.

O destaque na TV deu a oportunidade para Jair gravar duas canções tema da Copa do Mundo, 'Brasil sensacional' e 'Marechal da vitória'. O primeiro álbum, 'O samba como ele é', veio em 1963, mas foi só no segundo disco que o paulista experimentou o sucesso. 'Vou de samba com você', de 1964, tinha o grande hit 'Deixa isso pra lá', de Alberto Paz e Edson Meneses, canção pela qual Jair é lembrado até hoje. Em 1965, ao lado de Elis Regina, comandou o programa 'O Fino da Bossa', da TV Record, que obteve grande repercussão.

Em 1966, o cantor interpretou 'Disparada' ao lado do conjunto Quarteto Novo, música que acabou vencendo Festival de Música Popular Brasileira daquele ano, empatada com 'A banda', de Chico Buarque, cantada por Nara Leão. A partir daí, o músico que já vivia em programas de TV por causa de seu último disco, viu a carreira decolar.

Lançando praticamente um álbum por ano, até meados da década de 1980, Jair Rodrigues imortalizou canções como 'O Menino da Porteira', 'Boi da Cara Preta' e 'Majestade o Sabiá'. Ele também teve a experiência de gravar o samba enredo 'Festa Para Um Rei Negro', desfilado pelo Salgueiro em 1971.

O último disco de Jair Rodrigues foi lançado no início deste ano. 'Samba mesmo' reúne 26 canções que o veterano da MPB nunca havia gravado em 55 anos de carreira, entre elas 'Se você deixar' (Roque Ferreira), 'Todos os sentidos' (Martinho da Vila) e 'Força da Natureza' (de Jair Rodrigues com Carlos Odilon e Orlando Marques).

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Eduardo Abreu
E lamentável a morte do grande interprete da musica popular brasileira. Hoje a musica deixou de ser valorizada e apreciada, motivo, qualquer um que cante bem ou mal esta na mídia, diga de passagem estourando os ouvidos de quem admira uma boa musica, e lamentável. Não tem amor somente dinheiro. | Denuncie |

Autor: Iramar Barbosa da Silva
O Brasil perde um de seus grandes cantores, além de uma pessoa do bem! Meus pesâmes à família e fãs do grande Jair. | Denuncie |

Autor: Ronildo Oliveira
"... Se você não concordar Não posso me desculpar Não canto prá enganar Vou pegar minha viola Vou deixar você de lado Vou cantar noutro lugar ..." | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas