Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Prédio da Marinha no Rio é liberado após tremor em estrutura Marinha informou que as equipes de inspeção constataram que a causa das vibrações foi um aparelho que recicla materiais de demolição

Agência Brasil

Publicação: 09/05/2014 19:52 Atualização:

O prédio Barão de Ladário, de 22 andares, que abriga diretorias especializadas da Marinha, sofreu um leve tremor em sua estrutura nesta sexta-feira (9/5) de manhã. Os militares foram dispensados por motivos de segurança, mas, após uma vistoria da Defesa Civil Municipal e de técnicos da própria Marinha, o edifício foi liberado no início da tarde.

As atividades serão retomadas normalmente na próxima segunda (12). Segundo a Defesa Civil, o tremor relatado pelos militares foi provocado provavelmente por equipamentos usados em obras próximas, na região portuária do Rio. O abalo, no entanto, não provocou dano estrutural ao edifício.

Leia mais notícias em Brasil

Em nota, a Marinha informou que as equipes de inspeção fizeram um teste com sismógrafos e constataram que a causa das vibrações foi um rompedor hidráulico, aparelho que recicla materiais de demolição, usado para a remoção de escombros da obra da Perimetral. O uso do equipamento gerou impacto, dentro da normalidade, no solo.

No entanto, por causa da característica rochosa do terreno, as vibrações foram propagadas abaixo do prédio. Responsável pela obra da região portuária, a Concessionária Porto Novo esclareceu que os equipamentos usados na remoção dos resíduos do Elevado da Perimetral geram impactos, mas sem oferecer qualquer tipo de risco.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas