Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Com quedas sucessivas, volume de água do Cantareira chega a 8,6% De acordo com a Sabesp, a última vez que o reservatório apresentou pequeno acréscimo foi há quase um mês, quando o nível de armazenamento passou de 12% para 12,3%

Agência Brasil

Publicação: 13/05/2014 13:37 Atualização:

Com quedas sucessivas desde o dia 15 de abril, o volume de água armazenado no Sistema Cantareira voltou a baixar nesta terça-feira (13/5), atingindo 8,6%. De acordo com os dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), a última vez que o reservatório apresentou pequeno acréscimo foi há quase um mês, quando o nível de armazenamento passou de 12% para 12,3%. O sistema, que é o maior do estado, abastece cerca de 9 milhões de pessoas na região metropolitana de São Paulo.

A situação crítica do Cantareira, a pior desde que ele foi criado na década de 1970, está sendo debatida hoje em Campinas com representantes de sindicatos rurais, segundo a assessoria de imprensa da Agência Nacional de Águas (ANA). O encontro foi uma das sugestões do Grupo Técnico de Assessoramento para gestão do Sistema Cantareira (Gtag – Cantareira), formado por representantes da agência e do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo, para analisar e monitorar semanalmente as condições dos reservatórios.

Leia mais notícias em Brasil

De acordo com a ANA, já foram feitas três reuniões desde o dia 7. O primeiro encontro ocorreu com quatro municípios de Minas Gerais e de São Paulo, que ficam acima do Sistema Cantareira. Participaram representantes de prefeituras e empresas. Um encontro similar foi feito com municípios paulistas localizados abaixo do sistema. Hoje, na parte da manhã, o encontro foi com sindicalistas e, à tarde, com empresários. O objetivo é ouvir os diversos setores, avaliar a situação de estiagem e observar medidas que diminuam o impacto.

Estes encontros, no entanto, servirão apenas de subsídio para as decisões técnicas a serem sugeridas pelo Gtag. A próxima reunião do grupo técnico ocorre nesta sexta-feira (16), na qual serão avaliados o que é usado e o que é demandado ao sistema. O último comunicado do grupo, do dia 30 de abril, considera que o volume útil do Cantareira pode se esgotar no início de julho. Nesta quinta-feira (15), no entanto, as obras que possibilitam a retirada de águas do fundo das represas, o chamado volume morto, serão concluídas.

Estão sendo construídos dois canais de 3,5 quilômetros e instaladas 17 bombas, que envolvem um investimento de R$ 80 milhões. O uso desta reserva já havia sido apontado, há um mês, pela presidenta da Sabesp, Dilma Pena. Então, o nível do reservatório estava em 12%. A companhia informou que o total de água abaixo do nível das comportas chega a 300 bilhões de litros, mas serão disponibilizados, neste momento, 200 bilhões. Este volume é suficiente para abastecer os moradores da região metropolitana por quatro meses.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas