Brasil
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pai, madrasta e assistente social são indiciados por morte de Bernardo Segundo a polícia, Leandro e Graciele seriam os mentores do crime

Publicação: 13/05/2014 14:36 Atualização: 13/05/2014 15:01

Delegados responsáveis pela investigação falam a respeito do inquérito (Polícia Civil RS/Divulgação)
Delegados responsáveis pela investigação falam a respeito do inquérito

Polícia de Três Passos (RS), divulgou na tarde desta terça-feira (13/5), detalhes do inquérito sobre o homicídio de Bernardo Boldrini, de 11 anos. O pai do garoto, Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Ugulini e a assistente social Edelvania Wirganovicz, foram indiciados por homicídio culposo. O relatório, com 11 volumes e cerca de 200 páginas cada, a bicicleta da criança e uma faca foram entregues à Justiça nesta manhã.

Leia mais notícias em Brasil

Segundo a polícia, Leandro e Graciele seriam os mentores do crime. Para os investigadores, o pai forneceu a receita para a madrasta comprar o remédio que teria matado a criança. A delegada Cristiane Bauss, contou a trajetória da criança até o dia do assassinato, detalhando o planejamento e a execução do crime com base em depoimentos e provas levantadas pela perícia.

O delegado Mário Wagner, Diretor do Departamento de Polícia do interior, ressaltou que durante as investigações, o pai e a madrasta tentaram passar a impressão de que a família era unida e que eles tratavam bem a criança. No entanto, testemunhas alegaram que o relacionamento de Bernardo com o casal era difícil e que, constantemente, o garoto era humilhado em casa.

O inquérito foi entregue à justiça na manhã desta terça-feira (Polícia Civil RS/Divulgação)
O inquérito foi entregue à justiça na manhã desta terça-feira
O comportamento do casal teria mudado no dia do desaparecimento de Bernardo. "Tivemos a afirmação que Leandro e Graciele bajularam o Bernardo no meio-dia do dia 4. Inclusive, a Graciele deixou o menino brincar com Maria Valentina, coisa que ela nunca deixava. Era um dos pedidos do Bernardo, que ele queria brincar com a irmã. Aquele clima de tranquilidade que pairou no dia 4 era anormal na casa, nunca acontecia", salientou Caroline Bamberg, delegada titular do inquérito.


Relembre o caso
Bernardo Uglione Boldrini desapareceu no dia 4 de abril, em Três Passos. De acordo com o pai, ele teria ido à cidade de Frederico Westphalen com a madrasta para comprar uma tevê. Na volta para Três Passos, o menino teria dito que passaria o fim de semana na casa de um amigo. Como no domingo ele não retornou, o pai começou a procurá-lo na casa de amigos e acionou a polícia. Cartazes com fotos de Bernardo foram espalhados em Três Passos, Santa Maria e Passo Fundo.

O corpo do menino foi encontrado na zona rural de Frederico Westphalen no dia 14 de abril (Reprodução)
O corpo do menino foi encontrado na zona rural de Frederico Westphalen no dia 14 de abril


O corpo do menino foi encontrado na zona rural de Frederico Westphalen no dia 14. Bernardo morava com o pai, a madrasta, e uma meia-irmã, de um ano — de quem relatou ser proibido de se aproximar. A suspeita é de que o menino tenha sido morto com uma injeção letal.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Laudenizio Almeida
Parabéns aos policias de três passos e ao judiciário! Pena que o legislativo não trabalhe com tanta dedicação assim! Sabe aquela velha frase " a polícia prende é a justiça solta"! Pois é! detalhe, quem solta são os nossos representantes no poder! Pena perpétua é só o que esses criminosos merecem. | Denuncie |

Autor: Cinara Vieira
Homicídio culposo? Quer dizer que não tinham a inteção de matar é??Sei! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

:: Publicidade

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas