Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eventos marcam um ano do assassinato da radialista Lana Micol Lana Micol foi morta a tiros em Tabatinga, no Amazonas. O ex-marido dela é suspeito de ser o mandante

Agência Brasil

Publicação: 26/05/2014 13:41 Atualização:

A Rádio Nacional do Alto Solimões promove nesta terça-feira (26/5) dois eventos pelo fim da violência contra a mulher e em memória à radialista Lana Micol, assassinada a tiros em Tabatinga, no Amazonas há um ano. O ex-marido dela é suspeito de ser o mandante. O primeiro evento será uma aula pública, às 15h, na quadra de esportes da Escola Estadual Marechal Rondon. O encontro será aberto a alunos, pais e professores e pretende sensibilizar os participantes no combate à violência contra a mulher.

Para a professora do programa Observatório da Violência de Gênero da Universidade Federal do Amazonas Flávia Melo, a violência contra as mulheres deixa marcas na família, na sociedade, no agressor e onera o Estado. "Mulheres que sofrem violência doméstica tem problemas de saúde contínuos. Há uma gama de malefícios à saúde que advém desse processo contínuo de violência física e psicológica. Isso chega ao sistema de saúde público e à segurança pública também. Os dados de ocorrência, os procedimentos que isso demanda, o número de prisões, tudo isso acarreta gastos para o Estado que poderiam ser investidos em outras áreas se não tivessem que ser destinados para combater a violência que, infelizmente, é tão grande."

Leia mais notícias em Brasil

Ao final da aula, a partir das 17h, haverá uma passeata com o tema: Dê um Passo Para o Fim da Violência Contra a Mulher. A caminhada vai terminar em frente à Rádio Nacional do Alto Solimões, emissora da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), local onde Lana trabalhava.

A coordenadora da rádio, Mislene Ferreira, diz que, além de uma homenagem à colega, os eventos são uma forma de lutar contra as violências cotidianas. "Nós pegamos essa perda como um motivo para realmente combater a violência, para não deixar perder essa memória de que uma pessoa pública, uma pessoa muito querida, uma pessoa que transmitia informações contra a violência à mulher, que buscava políticas públicas para a região e que acabou virando vítima."

A radialista Lana Micol foi assassinada no dia 26 de maio do ano passado. Ela estava com o namorado e a filha, na frente de casa, quando dois homens em uma moto dispararam contra ela. Os autores dos disparos ainda não foram identificados. As investigações policiais apontam Edimar Nogueira Ribeiro, ex-marido de Lana, como principal suspeito. Ele passou 90 dias preso e aguarda julgamento em liberdade. Em abril deste ano, a Justiça realizou a primeira audiência de instrução do caso para ouvir as testemunhas. A segunda audiência está prevista para junho.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas