Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Policiais federais rejeitam proposta do governo para evitar greve De acordo com nota publicada na internet, não houve novidades em relação à oferta rejeitada por todos os sindicatos do país na última quinta.

Agência Brasil

Publicação: 28/05/2014 18:19 Atualização:

O Sindicato dos Servidores do Departamento de Polícia Federal do Estado do Rio de Janeiro decidiu rejeitar a proposta apresentada pelo governo no último domingo (25/5) como resposta às reivindicações trabalhistas. De acordo com nota publicada na internet, não houve novidades em relação à oferta rejeitada por todos os sindicatos do país na última quinta.

"Por entenderem que os novos termos não apresentam mudança significativa e que não atendem satisfatoriamente às reivindicações da categoria, os sindicatos do Rio de Janeiro e de Minas Gerais – integrantes do grupo de cinco estados que representam 80% da categoria em todo o Brasil – decidiram manter a rejeição. O posicionamento de todos os sindicatos será divulgado até a próxima sexta-feira, dia 30", diz a nota.

A O Sindicato dos Servidores do Departamento de Polícia Federal do Estado do Rio de Janeiro decidiu rejeitar a proposta apresentada pelo governo no último domingo (25/5) como resposta às reivindicações trabalhistas. De acordo com nota publicada na internet, não houve novidades em relação à oferta rejeitada por todos os sindicatos do país na última quinta.

"Por entenderem que os novos termos não apresentam mudança significativa e que não atendem satisfatoriamente às reivindicações da categoria, os sindicatos do Rio de Janeiro e de Minas Gerais – integrantes do grupo de cinco estados que representam 80% da categoria em todo o Brasil – decidiram manter a rejeição. O posicionamento de todos os sindicatos será divulgado até a próxima sexta-feira, dia 30", diz a nota.

A nota afirma que o reajuste de 15,8% não cobre as perdas salariais dos últimos sete anos, e manifesta desconfiança em relação à criação de um grupo de trabalho para analisar possíveis mudanças na carreira dos cargos de escrivães, papiloscopistas e agentes. "Em 2011, com o objetivo de acabar com a histórica greve nacional dos policiais federais que durou 72 dias, o governo já havia formado um grupo de trabalho que não apresentou qualquer resultado à categoria", informou a assessoria de imprensa do sindicato.

Leia mais notícias em Brasil

No fim de abril, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que não acreditava em uma paralisação da categoria durante a Copa do Mundo, por haver uma decisão do Supremo Tribunal Federal que afirma a ilegalidade de greves nas polícias Civil e Militar. Procurada pela Agência Brasil, a Polícia Federal afirmou que não se manifestaria sobre a questão..

"Em 2011, com o objetivo de acabar com a histórica greve nacional dos policiais federais que durou 72 dias, o governo já havia formado um grupo de trabalho que não apresentou qualquer resultado à categoria", informou a assessoria de imprensa do sindicato. No fim de abril, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que não acreditava em uma paralisação da categoria durante a Copa do Mundo, por haver uma decisão do Supremo Tribunal Federal que afirma a ilegalidade de greves nas polícias Civil e Militar. Procurada pela Agência Brasil, a Polícia Federal afirmou que não se manifestaria sobre a questão.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas