Brasil
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Suspeito de crime em SP diz que esquartejou, mas não matou zelador Homem afirma que a vítima bateu a cabeça durante uma briga. Ele foi indiciado por homicídio triplamente qualificado

Publicação: 04/06/2014 09:06 Atualização: 04/06/2014 09:49

O publicitário Eduardo Tadeu Pinto Martins, 47 anos, foi indiciado pelo homicídio triplamente qualificado de Jezi Lopes de Souza, 63, zelador do prédio onde o acusado morava, na Casa Verde, Zona Norte de São Paulo. Martins confirmou à polícia que esquartejou e tentou ocultar o cadáver do zelador, mas negou que tenha o matado. Na versão do publicitário, durante uma briga corporal entre os dois, Souza bateu a cabeça no batente da porta e morreu. Os investigadores, porém, tentam descobrir se o acusado utilizou uma arma encontrada no apartamento dele suja com o sangue da vítima.

Na terça-feira, o publicitário disse que a esposa, Ieda Martins, é inocente. Ela está detida preventivamente (Vinicius Pereira/Folhapress)
Na terça-feira, o publicitário disse que a esposa, Ieda Martins, é inocente. Ela está detida preventivamente

A mulher do publicitário, a advogada Ieda Cristina Martins, 42 anos, também foi presa temporariamente, por 30 dias, na segunda-feira, ao lado do marido. A polícia investiga se ela ajudou Martins a esconder o corpo. A suspeita é de que Ieda tenha comprado as malas que ele usou para sair do prédio com o cadáver, rumo à casa do pai, em Praia Grande, litoral de São Paulo. No local, a polícia encontrou pedaços do corpo de Souza, alguns na churrasqueira da casa. O publicitário entretanto, nega a participação da mulher. Ieda disse aos investigadores que achou que o marido levava roupas para doar a uma igreja.

Leia mais notícias em Brasil

O zelador desapareceu no prédio onde trabalhava na sexta-feira passada. A última imagem registrada pelas câmeras de segurança mostram Souza saindo com cartas na mão. Cerca de duas horas depois, o circuito interno exibe Martins saindo com malas. Familiares da vítima e moradores relataram que o morador e o zelador tinham brigas constantes por causa de atrasos na entrega de jornais, de cartas e da divisão de vagas na garagem. O próprio Martins relatou à polícia que entrou em uma briga física com Souza, antes de ele morrer, devido a uma discussão.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: josé de jesus alencar mafra josé de jesus alencar mafra
Crimes bárbaros. Quem mata deveria ir direto para a cadeia aguardar apenas o TEMPO que passará preso! Aguardar em liberdade é falta de bom senso! | Denuncie |

Autor: ADRIANO MAGALHÃES
Até quando vai continuar o descaramento dos criminosos, a conivência da defesa, sem a punição também pra isso? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas