Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Traficante mexicano preso pela PF entrou no Brasil a pé, por Foz do Iguaçu Ele e a família tinham ingressos para o jogo de hoje, as 16h

Agência Brasil

Publicação: 17/06/2014 12:12 Atualização:

O narcotraficante mexicano Jose Diaz Barajas, procurado nos Estados Unidos, foi preso nessa segunda-feira (16/6) pela Delegacia de Repressão a Entorpecente da Polícia Federal e agentes da Interpol, no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Galeão/Antonio Carlos Jobim. Acompanhado da esposa e dos dois filhos menores, ele tentava embarcar para Fortaleza para assistir o jogo entre Brasil e México, no Estádio Castelão.

Segundo a PF, Barajas, que tem o nome inscrito no cadastro de procurados da Interpol, entrou no Brasil a pé na última quarta-feira (11/6), por Foz do Inguaçu, vindo do Paraguai, portando documentos verdadeiros, depois de voo do México. De lá, foi para o Rio de Janeiro, em um voo doméstico, onde embarcaria para o Ceará. Ele e a família tinham ingressos para o jogo de hoje, as 16h.

De acordo com o coordenador-geral de Cooperação Internacional da Polícia Federal, delegado Luiz Cravo Dórea, desde a entrada dele no Brasil, ele foi monitorado, em uma parceria das autoridades brasileiras, norte-americanas e mexicanas no Centro de Cooperação Policial Internacional, em Brasília, inaugurado no último dia 9.

Leia mais notícias em Brasil

“Conseguimos monitorar os passos desse mexicano no Brasil. Por meio do Ministério da Justiça, pedimos o mandato de prisão ao Supremo Tribunal Federal, que foi atendido, no sábado, dia 14, pelo ministro Marco Aurélio Mello, então efetuamos a prisão. Tínhamos equipes no Rio de Janeiro e em Fortaleza. Tínhamos também a cópia do ingresso que ele havia comprado para o jogo”, explicou Dórea.

“Ele não atuava no tráfico de cocaína, mas de metanfetamina. Os insumos eram adquiridos na Ásia para produção local no México e depois ser exportado para os Estados Unidos”, acrescentou Dorea.

O mexicano foi preso por volta das 22h40 e aguardará a conclusão do processo de extradição detido no presídio Ari Franco, no Rio de Janeiro. Segundo Dórea, o pedido de extradição foi feito pelas autoridades norte-americanas. O chefe do escritório da Interpol no Brasil, Luiz Eduardo Navajas, explicou que o principal mercado mundial da metanfetamina, um tipo de droga sintética, são os Estados Unido, e que há alguns meses Barajas era procurado pelo Departamento de Combate às Drogas, norte-americano.

De acordo com a PF, desde o início das operações, o Centro de Cooperação Internacional tem recebido mais de 100 solicitações diárias relacionas à segurança pública, nacional e internacional.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas