Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

ONS prevê mais redução nos níveis de água dos reservatórios esta semana O Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação (PMO) mantém, no entanto, a previsão de vazões para quatro subsistemas no fechamento do mês

Agência Brasil

Publicação: 23/06/2014 12:25 Atualização:

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê que a capacidade dos reservatórios de água estará ligeiramente mais baixo nesta semana (de 21 a 27) do que na semana anterior, em todo o país.

O Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação (PMO) mantém, no entanto, a previsão de vazões para os quatro subsistemas no fechamento do mês: na Região Sul, acima da média histórica; no Subsistema Sudeste/Centro-Oeste, os níveis estão próximos da média; no Norte, um pouco abaixo da média; e no Nordeste a situação é mais desfavorável, com níveis em torno de 43% da média histórica.

Apesar da melhora do sistema como um todo, em razão das fortes chuvas que elevaram a capacidade de armazenamento no Subsistema Sul, o ONS prioriza a preservação dos estoques armazenados nos reservatórios das usinas localizadas nas cabeceiras dos rios Grande, Paranaíba e São Francisco.

Explora, prioritariamente, os recursos energéticos das regiões Norte e Sul, além da Hidroelétrica de Itaipu, complementados pela geração de usinas térmicas do Sistema Interligado Nacional.

Leia mais notícias em Brasil

O diagnóstico do ONS diz que praticamente não houve alteração entre uma semana e outra quanto à capacidade de geração de energia, e salienta que a carga prevista para o mês de junho, no Nordeste, é de crescimento de 2,5%, em relação ao mesmo mês do ano passado.

No Norte, a elevada taxa de crescimento prevista, de 24,1%, decorre, principalmente, da interligação de Manaus ao Sistema Interligado Nacional a partir de julho de 2013. Retirando o efeito dessa interligação, a carga prevista para o mês de junho apresenta decréscimo de 0,7% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Nos subsistemas Sul e Sudeste/Centro-Oeste, as taxas de crescimento previstas, 1,3% e 0,5%, respectivamente, além de incorporar os efeitos do feriado de Corpus Christi e dos jogos da Copa do Mundo ao longo do mês de junho, segue o desempenho recente da indústria, que se mantém em baixa.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas