Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Procon fiscaliza centenas de taxistas nos aeroportos do Rio de Janeiro Com a intensa movimentação devido à Copa do Mundo, consumidores denunciaram ao órgão que alguns motoristas estavam cobrando corrida sem taxímetro ligado ou voucher

Agência Brasil

Publicação: 24/06/2014 19:26 Atualização:

Centenas de taxistas dos aeroportos Santos Dumont e do Galeão foram alvo de fiscalização nesta terça-feira (24/6) do Procon estadual do Rio de Janeiro, com o objetivo de coibir cobranças ilegais aos turistas que chegam à cidade. Com a intensa movimentação devido à Copa do Mundo, consumidores denunciaram ao órgão que alguns motoristas estavam cobrando corrida sem taxímetro ligado ou voucher (comprovante de pagamento). Prática conhecida como “corrida no tiro”, proibida por lei.

A ação faz parte da Operação Camisa 10, que vem ocorrendo durante o período da Copa do Mundo e deve continuar até o fim do Mundial. De acordo com o diretor de fiscalização do Procon e coordenador da operação, Fábio Domingos, durante a ação desta terça-feira nenhum taxista foi flagrado praticando a cobrança ilegal. “A nossa ação é muito discreta. Colocamos fiscais no saguão dos aeroportos, para observar se há alguma abordagem suspeita, onde o taxista estipula um valor da corrida para um passageiro, afirmando que sairá mais barato”, disse.

Para não passar por esse tipo de situação, o diretor de fiscalização alerta aos usuários para não aceitar corridas sem taxímetro ou voucher. “Nos aeroportos e na rodoviária existe a possibilidade do passageiro optar pela corrida no taxímetro ou por tarifas pré-fixadas nos guichês. No último caso, o passageiro faz o pagamento no próprio guichê. Para informar quais são as formas de cobrança aqui no Rio, estamos distribuindo cartilhas em português, inglês e espanhol nas principais portas de entrada da cidade”, explicou Fábio Domingos.

Leia mais notícias em Mundo

A fiscalização do Procon passou pelo Aeroporto Santos Dumont, no último dia 14, para apurar denúncia semelhante, sem efeito prático na comprovação de ilegalidade. Segundo Domingos, muitos taxistas elogiam a ação do Procon. “Quando fizemos uma operação semelhante no Aeroporto Internacional, o taxista elogiou o trabalho do Procon, porque atitudes desse tipo [corridas no tiro] mancham a imagem da categoria. A maioria quer que isso seja resolvido”.

As denúncias podem ser feitas pelo Disque 151, que durante a Copa do Mundo funciona das 7h às 22h, exceto feriados. Os consumidores podem denunciar por meio do site do Procon. A reportagem tentou contato com o Sindicato dos Taxistas Autônomos do Rio de Janeiro, mas nenhum representante da entidade foi encontrado para comentar o assunto.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas