Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Governo estadual do Rio sanciona reajuste de profissionais de educação

Agência Brasil

Publicação: 01/07/2014 21:52 Atualização:

O reajuste salarial de 9% para os servidores da área de educação, no Rio de Janeiro, foi sancionado hoje (1º) pelo governo do estado. A partir desta terça-feira 1º), o piso inicial do magistério, para uma carga horária de 30 horas semanais, que era de R$ 2.028,67, passa para R$ 2.211,25. A hora-aula será agora R$ 18,42. Antes era R$ 16,90.

De acordo com a Secretaria de Educação, o aumento vai atingir cerca de 150 mil funcionários públicos, incluindo animadores culturais, aposentados e pensionistas. Todos começarão a receber o reajuste nos contracheques de agosto, referente ao pagamento deste mês.

Ainda segundo a secretaria, os servidores têm direito a auxílio-transporte, que varia entre R$ 63 e R$ 120 por mês; auxílio-qualificação, que é um bônus anual de R$ 500; auxílio-alimentação no valor de R$ 160 mensais; e formação continuada para professores regentes de turma, em parceria com o Consórcio Cederj. A secretaria acrescentou que junto com o curso de formação, o professor recebe uma bolsa-auxílio de R$ 300 por mês.

O governo informou que agora a hora-aula na rede estadual do Rio de Janeiro ultrapassa em 57% a do piso nacional da categoria. Segundo o governo, o piso no Brasil, para 40 horas semanais, é R$ 1.697,00, o que corresponde a hora/aula de R$ 10,60.

Os profissionais em educação decidiram, sexta-feira (27), suspender a greve nas redes municipal e estadual, que tinha começado no dia 12 de maio. A assembleia definiu ainda que na segunda-feira (7) haverá paralisação da rede municipal de educação. Estava previsto também um ato unificado em frente à prefeitura, para acompanhar a audiência do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe-RJ) com a Secretaria Municipal de Educação (SME), prevista para as 11h, mas a SME resolveu cancelar o encontro por causa da paralisação.

A coordenadora-geral do Sepe-RJ, Gesa Corrêa, disse que o sindicato, por causa do cancelamento, conseguiu marcar uma audiência no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), para quinta-feira (3), às 15h, com a presidenta do tribunal, desembargadora Leila Mariano, e representantes da SME. Na rede municipal ainda não houve acordo entre o sindicato e a secretaria sobre o reajuste e a pauta de reivindicações da categoria. “Nós não queríamos recorrer ao Judiciário. Nós queremos abrir o canal de negociação. Temos que ser recebidos”, contou em entrevista à Agência Brasil.

Segundo Geisa Corrêa, na audiência com a presidenta do TJRJ, os integrantes do sindicato também vão pedir esclarecimento para o cumprimento da promessa do governo estadual de não descontar os dias parados. “Alguns colegas que fizeram greve estão com descontos nos contracheques. Estamos tentando uma posição do governo estadual para ver o que está acontecendo. Ficou acertado que não haveria nenhum tipo de punição”, completou.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas