Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Possível final entre Brasil e Argentina preocupa prefeitura do Rio "Acho que é o jogo mais complicado de se executar. Não há previsão de outras exibições públicas, por enquanto, e obviamente é um outro evento", segundo o presidente da Rio Eventos, Leonardo Macielc

Agência Brasil

Publicação: 02/07/2014 21:59 Atualização: 02/07/2014 23:18

O presidente da Rio Eventos, Leonardo Maciel, disse hoje (2) que o cenário mais delicado para o planejamento de segurança e mobilidade para a final da Copa do Mundo, no Estádio do Maracanã, dia 13 de julho, seria uma partida entre o Brasil e a Argentina. Ele informou que ainda não há previsão de instalação de outros locais públicos para a exibição do jogo da final, caso seja entre seleções com grande presença de público.

“Acho que é o jogo mais complicado de se executar. Não há previsão de outras exibições públicas, por enquanto, e obviamente é um outro evento. A gente organizou seis jogos, com o próximo da sexta-feira, mas sem sombra de dúvida, a final é independente. Se tiver o pior cenário, no bom sentido, como este entre Brasil e Argentina, a gente vai organizar a cidade para isto, mas de toda sorte, o jogo é só no Rio de Janeiro, imprensa toda aqui, turistas de todos os locais mesmo sem ingressos para acompanhar o jogo; a segurança vai ter um planejamento intensificado e, certamente, será demandado conforme o cenário do jogo”, analisou.



A avaliação foi feita durante entrevista no Centro Aberto de Mídia (CAM), no Forte de Copacabana, zona sul do Rio, para a apresentar o planejamento de mobilidade para o jogo entre França e Alemanha, sexta-feira (4), às 13h, no Maracanã. Segundo o presidente da Rio Eventos, para sexta foi preciso organizar o esquema de forma a atender públicos diversos, tanto para os torcedores que vão ao estádio para o jogo das quartas de final, como para quem vai se deslocar pela cidade para acompanhar o jogo entre Brasil e Colômbia, às 17h, em Fortaleza. “Isso implica que a gente adote medidas na cidade para absorver ambos os eventos”, disse.

Leonardo Maciel informou que o plano de ordem pública para o estádio permanece o mesmo adotado em partidas anteriores, incluindo a proibição de venda e consumo de bebida alcoólica duas horas antes e duas depois dos jogos, o combate ao estacionamento e comércio ambulante irregular e o apoio às forças policiais no combate à ação de flanelinhas e cambistas. A Guarda Municipal, responsável pelo acompanhamento do cumprimento das medidas, vai atuar com 2.310 agentes e 15 reboques.

Para a partida, a proibição de estacionamento em ruas no entorno do Maracanã vai começar na véspera, às 17h. Quanto às outras interdições ao trânsito, em ruas próximas ao estádio, o diretor de Operações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), Joaquim Dinis, informou que a primeira etapa de interdição será feita oito horas antes do começo da partida. A partir, portanto, das 5h. Na segunda etapa, o bloqueio começará às 6h, e o fechamento vai valer até duas horas depois do término da partida. "Os fechamentos no entorno do Maracanã são sempre decididos pela prefeitura, de acordo com o que as forças de segurança recomendam", disse Dinis.

Já na Avenida Atlântica, em Copacabana, onde fica a Fifa Fan Fest, a pista da orla será interditada a partir das 7h, e permanecerá fechada ao trânsito até as 21h, entre o Posto 6 e a Rua Princesa Isabel. Na pista junto aos prédios, a interdição começa meia hora antes do jogo do Brasil, entre as ruas Figueiredo Magalhães e Princesa Isabel.

Mais uma vez a recomendação, tanto para os moradores do Rio como para os visitantes, é o uso do transporte público, especialmente metrô e trens. “Esse esquema se mostrou muito bem sucedido. A gente está fazendo uma Copa do Mundo com estádio lotado nos cinco jogos já realizados e o metrô foi transporte confortável, eficiente e eficaz para a ida ao Maracanã. Então, a gente insiste para as pessoas não irem de carro”, disse.

A recomendação se estende à utilização das três estações próximas ao estádio e não apenas à Maracanã, que tem concentrado o maior número de pessoas. Joaquim Dinis explicou que a Estação São Francisco Xavier, por operar apenas a Linha 1, costuma ter movimento menor de passageiros e, por isso, pode ser mais confortável para os usuários, apesar de estar localizada um pouco mais longe do estádio.

Leia mais notícias em Brasil

Sobre os motorhomes estacionados no Terreirão do Samba, no centro do Rio, Maciel informou que atualmente estão no local 35 veículos, sendo 30 argentinos, dois chilenos e três brasileiros. A área tem capacidade para receber 80 veículos e até agora já passaram por lá cerca de 150. O presidente da Rio Eventos acrescentou que se a Argentina for para a final, certamente terá que haver um reforço no esquema de estacionamento de motorhomes na cidade.

Como foi feito nos jogos anteriores da Copa, as áreas de lazer não vão funcionar sexta-feira, como também o Parque da Quinta da Boa Vista, na zona norte da cidade. Por causa do horário do jogo entre França e Alemanha, no Maracanã, e Brasil e Colômbia, no Castelão, em Fortaleza, será feriado integral no Rio, mas setores como comércio, serviços essenciais e meios de comunicação não estão incluídos.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas