Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Jornalista argentino morre em táxi atingido por carro que fugia da PM A vítima, de 38 anos, foi arremessado do veículo e ele morreu na hora

Jacqueline Saraiva

Publicação: 09/07/2014 09:24 Atualização: 09/07/2014 10:33

Um jornalista argentino morreu após acidente de carro, durante perseguição policial, em Guarulhos, na Grande São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (9/7). Segundo informações da Polícia Militar, Jorge Luiz López, 38 anos, seguia em um táxi na altura da Avenida Tiradentes e da Rua Barão de Mauá, por volta das 1h15, quando o veículo foi atingido por outro, onde estavam três criminosos em fuga. Ele morreu na hora.

Jornalista estava no Brasil para a cobertura da Copa (Reprodução de internet)
Jornalista estava no Brasil para a cobertura da Copa


A Polícia Militar afirma que a equipe fazia ronda na região quando se deparou com o veículo roubado. Os três suspeitos perceberam a presença da PM e fugiram. O suspeito que conduzia o carro acabou perdendo o controle da direção e atingindo o táxi onde Jorge Luiz estava. Com a força da batida, o corpo do argentino foi arremessado do veículo. Ainda não se sabe se ele estava usando ou não o cinto de segurança.

O motorista do táxi foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para um hospital da região, com ferimentos leves. Os três criminosos foram presos pela PM, ilesos. Com eles foram apreendidos um revólver e uma pistola. O caso foi registrado no 1° Distrito Policial (Guarulhos).

Leia mais notícias em Brasil

O jornalista seguia para o hotel onde estava hospedado, no centro da cidade. Ele trabalhava no diário esportivo “Olé”, de Buenos Aires, e estava no Brasil fazendo a cobertura da Copa do Mundo. Em nota no site, o jornal lamentou a morte do profissional e afirmou que a imprensa argentina está de luto. Destacou o excelente trabalho desempenhado por Jorge, com notáveis entrevistas, entre elas algumas feitas com o atacante argentino Lionel Messi, com quem mantinha amizade.

Morte em Minas Gerais
Na semana passada, outra jornalista argentina morreu no Brasil, em um acidente de carro. Filha do conhecido jornalista argentino esportivo Miguel Titi Fernández, Maria Soledad Fernandez, de 26 anos, seguia de São Paulo para Belo Horizonte, na madrugada de quarta-feira (2/7), em uma Doblò, com os argentinos Juan Daniel Berazagueti, 42, e Fernando Javier Bruno, 44, quando o veículo foi atingido na traseira por um Golf preto com placa de São Paulo, no Km 619 da Fernão Dias. Desgovernado, o veículo dos argentinos saiu da pista.

O corpo de Soledad foi arremessado do veículo. Segundo a perícia da Polícia Civil do estado, ela não usava cinto de segurança. A Polícia Civil prendeu e indiciou por homicídio culposo Marcos Vinícius da Silva, de 21 anos. Ele dirigia o veículo ao lado de Rafael Costa Campos, 23, dono do veículo. Na delegacia, a dupla alegou que estava a 120km/h, acima dos 110km/h permitidos, e que não bateu na Doblò. Os dois argentinos que sobreviveram ao acidente foram socorridos no Hospital Regional de Betim com escoriações e em estado de choque. Depois da alta, ainda abalados, comentaram a tragédia: “Ela nos perguntou se podíamos trazê-la e lamentavelmente aconteceu o que aconteceu”.

Com informações de Guilherme Paranaiba

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas