Brasil
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Vítimas acompanham chegada de Abdelmassih em aeroporto de São Paulo Várias mulheres, que afirmaram ter sido vítimas de Abdelmassih, acompanharam a chegada dele e pediram que outras pacientes denunciem os abusos

Agência Brasil

Publicação: 20/08/2014 18:12 Atualização: 20/08/2014 18:31

Condenado por estupros cometidos contra pacientes, o médico foi preso nesta terça-feira (19/8), em Assunção, no Paraguai (Senad/AFP Photo)
Condenado por estupros cometidos contra pacientes, o médico foi preso nesta terça-feira (19/8), em Assunção, no Paraguai


O ex-médico Roger Abdelmassih deixou o Aeroporto de Congonhas, vindo do Paraguai, de onde seguiu para o Presídio de Tremembé na tarde desta quarta-feira (20). Na chegada ao aeroporto, policiais civis reforçaram a segurança no local por causa do grande número de pessoas que aguardavam a transferência do ex-médico, entre elas vítimas e jornalistas. Várias mulheres, que afirmaram ter sido vítimas de Abdelmassih, acompanharam a chegada dele e pediram que outras pacientes denunciem os abusos. O ex-médico estava algemado e de colete à prova de balas. Condenado por estupros cometidos contra pacientes, ele foi preso nesta terça-feira (19/8), em Assunção, no Paraguai.

De acordo com o delegado da Polícia Civil Osvaldo Nico Gonçalves, a prisão de Abdelmassih é uma vitória para a polícia e todos os órgãos envolvidos na investigação. Segundo ele, o ex-médico disse "que está arrependido", porém Abdelmassih não detalhou sobre qual ato estava se referindo. Conforme o delegado, o ex-médico disse ainda que vai reverter a situação atual.

Especialista em reprodução humana, Abdelmassih foi preso por agentes da Secretaria Nacional Antidrogas paraguaia e da Polícia Federal (PF) brasileira. Em 2010, ele foi condenado a cumprir 278 anos de prisão por 56 estupros cometidos contra as próprias pacientes, entre 1995 e 2008. Abdelmassih teve o registro profissional cassado em agosto de 2009.

No entanto, o ex-médico continuou em liberdade, na época, por ter obtido habeas corpus concedido pelo então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. O benefício foi cassado pelo próprio STF, em fevereiro de 2011. Desde então, Abdelmassih estava foragido. O nome dele constava na lista dos mais procurados pela polícia internacional (Interpol).

Leia mais notícias em Brasil

O paradeiro de Abdelmassih foi descoberto após investigações feitas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaedo) - Núcleo Bauru, do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP).

Segundo o MP-SP, as pistas surgiram durante a apuração de novos crimes praticados pelo ex-médico e por terceiros, tais como favorecimento pessoal, falsidade ideológica e falsidade material, em cidades do interior paulista, entre elas, a de Avaré. Durante buscas em uma propriedade rural, foram encontrados indícios de que ele estaria no país vizinho. As informações foram então compartilhadas com a PF.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Sonia Maria de Sá
O que impressiona neste caso além do estarrecedor número de vítimas é a omissão do conselho regional de medicina de s.paulo e o silêncio do mesmo durante tantos anos, quando foi divulgado que o fato era sabido na área medica. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

PUBLICIDADE

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas