Brasil
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasil destina somente metade dos recursos para a saúde pública Enquanto os recursos da União, de estados e municípios com a saúde pública representam 4,1% do PIB, a Espanha investe 7,1%, o Reino Unido, quase 8%, e o Canadá, 7%, por exemplo

Julia Chaib

Publicação: 21/08/2014 09:20 Atualização:

As grande filas à espera de atendimento e a má qualidade de serviços oferecidos em hospitais constatadas pela população em pesquisa de opinião encomendada pelo Conselho Federal de Medicina são fruto, entre outros fatores, de um problema em comum: o financiamento precário. O Brasil investe em saúde pública um valor proporcionalmente inferior à metade do que gastam países desenvolvidos com serviços semelhantes ao Sistema Universal de Saúde (SUS). Enquanto os recursos da União, de estados e municípios com a saúde pública representam 4,1% do Produto Interno Bruto (PIB), a Espanha investe 7,1%, o Reino Unido, quase 8%, e o Canadá, 7%, por exemplo. Para especialistas, o baixo financiamento interfere diretamente na qualidade dos serviços.

O investimento total em saúde corresponde a cerca de 9% do PIB. Desse valor, entretanto, quase 5% são para despesas privadas, como os gastos com remédios e planos de saúde. Pesquisa feita pelo Datafolha a pedido do Conselho Federal de Medicina mostrou que pelo menos nove em cada 10 pessoas estão insatisfeitas com os serviços de saúde no Brasil, tanto público quanto particular.

A presidente do Centro Brasileiro de Estudos em Saúde (Cebes), Ana Maria Costa, diz que as contas mostram que o sistema público não é prioridade. “O gasto público brasileiro é aquém de países com sistema universal”, diz. Quem acaba prejudicada é a parcela mais pobre da população. “A faixa mais pobre gasta mais com medicamentos, enquanto os que ganham mais gastam com planos. Temos um panorama que acirra a desigualdade social no Brasil.”

Leia mais notícias em Brasil

Para a professora do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Lígia Bahia, o financiamento atual é suficiente para “meio SUS”. “Temos um orçamento deficitário. O que foi proposto na Constituição é muito maior”, diz. Lígia se refere à previsão da Carta Magna para o uso do orçamento da Seguridade Social — que foi de R$ 456,3 bilhões em 2011, por exemplo — com a saúde. A transferência não ocorre na prática. “A saúde tem sido financiada com um orçamento insuficiente para arcar com um setor que tem, necessariamente, expansão de gastos”, diz Lígia. Para as especialistas, é urgente que a União se comprometa a gastar 10% da receita corrente bruta com o setor. A demanda está em um projeto de lei que tramita no Congresso.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: Marcos Andrade
Os que comprovadamente não trabalharem, tem que ser aplicada a Lei e sofrer a sanção disciplinar cabível. Sem prejuízo de responsabilização civel e penal por problemas decorrentes da sua falta ao trabalho. | Denuncie |

Autor: Marcos Andrade
Concordo em parte com a Marta. Os médicos no serviço público tem que ser servidores, até mesmo porque o provimento de cargo é por concurso público. O que tem que ter é uma rígida fiscalização do cumprimento da carga horária desses médicos para que não abandonem o local de trabalho. | Denuncie |

Autor: Wesley Rodrigues Soares
Grande novidade. | Denuncie |

Autor: Marta Oliveira
Além do investimento ser só a metade os médicos só querem ser servidores, ganhar bem e não ir ao trabalho, no seu horário de trabalho, estão atendendo em seus consultórios particular essa é a verdade. Conheço essa realidade. O CRM quer transferir a responsabilidade aos Governos apenas, essa é boa. | Denuncie |

Autor: Jean Car
E ainda tem mais, muitos profissionais da saúde pública se acham acima do bem e do mal, eles estão lá para servir o povo que paga o salário deles, ou seja são empregados do povo! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

PUBLICIDADE

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas