Brasil
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Após lancha naufragar, pai e filho fazem "selfie" enquanto esperam resgate Eles foram encontrados cinco horas depois, depois de acionarem o resgate por telefone; caso ocorreu no Rio Tapajós

Publicação: 03/09/2014 10:17 Atualização: 03/09/2014 15:49

A dupla ficou à deriva durante cinco horas (Antônio Aguiar/Arquivo Pessoa)
A dupla ficou à deriva durante cinco horas


Pai e filho ficaram à deriva por cinco horas após a lancha naufragar no Rio Tapajós, no Pará. Antônio Ximenes de Aguiar, de 41 anos, e Artur Rafael Ximenes de Aguiar, de 11 anos, saíram da Vila de Alter do Chão e seguiam para a comunidade Amorim, em Belterra, quando o incidente ocorreu.

Com o celular protegido em um recipiente impermeável, Antônio conseguiu contato com a polícia, que informou a Marinha sobre o naufragio. Confiante de que seria salvo, Antônio fez uma "selfie" com o filho ainda de dia. Segundo relato das vítimas, a lancha não conseguiu estabilidade com os fortes ventos e afundou por volta das 16h dessa segunda-feira (1°/9).

Após o resgate ser acionado, o comandante da Capitania Fluvial de Santarém, Robson Oberdan, conta que as buscas duraram cerca de 3h até a dupla ser encontrada. A capitania conseguiu encontrá-los já a noite, por volta das 21h. A dupla foi encontrada sem ferimentos a cerca de 10 km da costa. "Apesar de estar escuro, os dois estavam com uma lanterna e viram a lancha de longe, o que ajudou o resgate", explicou Oberdan.

Pai e filho foram resgatados por volta das 21h (Capitania Fluvial de Santarém/Divulgação)
Pai e filho foram resgatados por volta das 21h


Segundo Oberdan, os casos de naufrágio são muito comuns na região. De janeiro a setembro, já foram registrados nove vítimas fatais em casos semelhantes, mas nesses casos as vítimas não usavam colete salva-vidas. O comandante da capitania conta que sem os coletes, provavelmente, eles não teriam sobrevivido.

Leia mais notícias em Brasil

Um inquérito foi instaurado para investigar as causas do incidente e averiguar a documentação da embarcação e a habilitação de Antônio. O laudo pericial deve ficar pronto em 90 dias.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

PUBLICIDADE

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas