SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Vídeo de agressão a morador de rua em São Paulo revolta internautas

Imagens que já foram compartilhadas por quase 10 mil pessoas mostram um homem de terno e gravata chutando um morador de rua que dormia em uma calçada no Centro da capital paulista

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/10/2016 22:45 / atualizado em 10/10/2016 22:53

Fernando Jordão - Especial para o Correio /

 

 

Sete segundos. Esse é o tamanho de um vídeo que ganhou enorme repercussão na internet. É que apesar da curta duração, as imagens mostram uma cena de imensa covardia. Nelas, um homem de terno e gravata chuta um morador de rua que dormia em uma calçada no Centro de São Paulo. A gravação foi postada no Facebook e, apenas na publicação original, já conta com quase 10 mil compartilhamentos e 2 mil reações.

O vídeo foi filmado e compartilhado pelo motorista de Uber Maicon Campos, na sexta-feira (7/10). Ele conta que estava estacionado na rua Joaquim Gustavo, no bairro da República quando viu três homens “bem vestidos” se aproximarem do morador de rua. “Um deles cutucou o morador de rua e tentou acordá-lo. Como ele não acordou, o de camisa azul deu um chute nele. Quando eu vi isso, peguei o celular para gravar. Porém, quando comecei a gravação, consegui pegar apenas o homem de terno chutando. Ele viu que eu gravei e continuou andando”, lembra Maicon que já morou na região e afirma ser comum a presença de moradores de rua no local: “mas eles não fazem nada. O máximo que fazem é pedir dinheiro ou para ficar olhando o carro”.

 

Leia mais notícias em Brasil

 

Depois que os homens foram embora, o motorista decidiu seguí-los. Quando os encontrou, viu que estavam conversando com policiais. “Eu me aproximei e já comecei a falar: ‘esses caras acabaram de agredir um morador de rua, eu gravei e aqui estão as imagens’. A polícia falou para mim: ‘não posso fazer nada, porque não peguei em flagrante, mas você pode fazer um Boletim de Ocorrência’”, relatou. Maicon diz ainda que, quando voltou para buscar seu carro, encontrou uma base móvel da Polícia Militar e mais uma vez tentou, sem sucesso, registrar uma ocorrência: “eles falaram que eu precisava ir a uma delegacia”.

 

Procurada pelo Correio, a Secretaria de Segurança Pública informou, em nota, que “a pessoa que gravou a ação pode comparecer a qualquer Distrito Policial para denunciar a agressão e registrar as informações sobre hora, local da agressão e características da vítima. Assim, a polícia poderá investigar o caso”. A pasta ressaltou, contudo, que “a situação exposta pela reportagem [as imagens da agressão] não caracteriza um flagrante, de acordo com a legislação brasileira”.

Repercussão
O motorista decidiu não ir a uma delegacia registrar o Boletim de Ocorrência, pois, segundo ele, “não ia acontecer nada, porque não tinha nenhum dado dos agressores”. No entanto, ele resolveu postar a gravação em seu perfil no Facebook e se surpreendeu com a repercussão. “Postei na intenção de compartilhar com meus amigos o que vi e achei inacreditável. Todo mundo ficou indignado também e começou a compartilhar”, explica.

Na avaliação de Maicon, o alcance ficou ainda maior após o vídeo ser repostado pelo usuário Gerson Carneiro. Apenas no perfil dele, as imagens foram vistas mais de 5 milhões de vezes. “Ele veio falar comigo e disse: ‘nós vamos achar esse cara’”, afirma o motorista. Quem também compartilhou a publicação foi o ator Cauã Reymond que mostrou-se indignado com a agressão ao morador de rua. “Vamos compartilhar e ajudar a identificar esse equino… Alô, Ministério Público!”, publicou.

Maicon diz não temer represálias por parte do homem mostrado nas imagens chutando o morador de rua. “Hoje eu tenho dó desse cara. Tenho dó porque pode ser que aconteça uma coisa ruim. O pessoal que viu o vídeo pode querer bater, agredir de forma física. Ele tem que pagar, mas não com agressão. Tem que pagar perante a Justiça. A Justiça tem que ir atrás e tomar as providências”, finalizou.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade