SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

População tenta linchar mulher acusada de matar grávida e retirar feto

Mais de 100 pessoas jogaram pedras e tentaram derrubar os portões de delegacia em Pintangueiras, interior de São Paulo. Polícia usou bombas de gás e tiros com balas de borracha para evitar invasão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/10/2016 15:29

Agência Estado

A prisão da suspeita de matar uma grávida e tirar o feto terminou em tumulto em Pitangueiras, no interior paulista, no fim da tarde de sexta-feira (14/10). A polícia teve de usar bombas de gás e tiros com balas de borracha para evitar a invasão a uma delegacia. Mais de cem pessoas jogaram pedras e tentar derrubar os portões do local.

A acusada Mirian Siqueira, de 25 anos, se entregou em Sertãozinho, também no interior de São Paulo, e foi levada em seguida para Pitangueiras, onde o crime foi registrado na quarta (12). Porém, com a fúria dos moradores, acabou transferida para outra cidade por medida de segurança.

Segundo o delegado Maurício Nucci, ela confessou o crime, mas alegou ter matado a vítima, Valíssia Fernandes, de 15 anos, durante uma briga. O motivo é que a adolescente teria prometido lhe dar o bebê, mas depois desistiu da ideia. "Ela diz que retirou o feto do útero porque pensou que o bebê estivesse vivo", contou o delegado. As investigações, porém, apontam em crime premeditado. A acusada responderá por homicídio e aborto sem consentimento da mãe, cujas penas podem chegar a 40 anos.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade