SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Superlua é visível neste domingo em todo o País

As superluas são visíveis quando as luas cheias ocorrem próximas do perigeu, que é o ponto mais próximo que a lua atinge em relação à Terra.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/10/2016 21:58 / atualizado em 16/10/2016 23:14

Reprodução/Youtube Nasa)


Está visível em todo o País neste domingo, 16, a chamada superlua. O melhor momento para a observação, sem necessidade de binóculos ou lunetas, foi logo que o satélite surgiu no céu. Mas se você não tiver tempo, se a chuva atrapalhar ou não estiver em um local que favoreça a observação, não se preocupe: todas as luas cheias que restam neste ano apresentarão o fenômeno ­- em 14 de novembro e 14 de dezembro.

Neste domingo, o fenômeno é realçado pelo fato de a lua estar mais próxima do horizonte, o que resulta em um efeito extra de ampliação. Segundo especialistas, não se trata de um efeito ótico, mas apenas mental ­ - ou seja, o cérebro cria uma imagem de uma lua maior. Esse fenômeno acontece quando as luas cheias ocorrem próximas do perigeu, ponto mais próximo que o satélite atinge em relação à Terra. O tamanho e o brilho do evento, que ocorre em média seis vezes por ano (também em luas novas), é variável.

Inaê Quirino, 36, antropóloga, fez questão de levar os quatro filhos, Lis, 12, Pablo, 9, Felipe, 5, e Marina, 1 ano e 11 meses, para ver o fenômeno da superlua. Ele ocorre quando a lua cheia ocorre próxima do perigeu, o ponto mais próximo que ela atinge em relação à Terra. “Eu acho que, de alguma forma, a lua me influencia como faz com a maré. Eu já tinha vindo aqui ver uma lua cheia antes e estava querendo trazê-los algum dia”, afirma Inaê.

Super Lua e a silhueta da Torre de TV Digital Brasília, DF, Brasil Foto: Carlos Moura/CB #correiobraziliense @carlosalvesmoura

Uma foto publicada por Correio Braziliense (@cbfotografia) em



A família chegou na Praça dos Três poderes cerca de cinquenta minutos antes do horário da lua nascer e as crianças não se continham de ansiedade. Pablo fantasiou que, quando ela aparecesse, seria o dia de novo. A imaginação fértil não impediu que ele admirasse a lua do jeito que estava: amarela e enorme levantando-se pouco a pouco no céu. “Minha irmã (Lis) disse que era momento de pensar positivo, então, estou fazendo isso”, conta.

Não foi só por causa da superlua que o satélite parecia maior. A lua também estava mais próxima do horizonte, quando ocorre um efeito extra de ampliação. De acordo com o Observatório Astronômico de Lisboa (OAL), é normal ver a lua cheia próxima da linha do horizonte muito maior do que quando se encontra mais alta no céu noturno. "Esse efeito não é ótico, mas apenas cerebral, ou seja, é o cérebro humano que cria a ‘imagem fictícia’ de uma lua enorme", diz o comunicado.



O casal de namorados Andrea Carvalho, 32, e Tainã, 30, também estiveram na praça do Três Poderes para ver a lua de ontem. Andrea é muito ligada em signos e no estudo dos astros e acredita no poder das vibrações da lua. Na astrologia, a lua cheia atual representa o signo de áries (oposto complementar do signo de quem faz aniversário hoje, libra) e seria uma lua que favorece a finalização de projetos. “Pra mim, parece que já está dando certo, porque eu estou para entregar um trabalho há um mês e hoje consegui passar o dia concentrada nele”, relata Andrea.

Até o fim de 2016, todas as luas cheias - que ocorrerão nos dias 16 de outubro, 14 de novembro e 14 de dezembro - serão superluas. Apesar do fenômeno se repetir, nem todas terão o mesmo tamanho e brilho.

Nas redes sociais muitas pessoas postaram imagens do fenômeno e algumas lamentam não terem equipamentos capazes de captar com boa qualidade o que estão vendo.




Super lua. Foto: Helio Montferre/Esp/CB D.A. Press @hcfilhophoto #correiobraziliense%uD83D%uDCF0 #superlua

Uma foto publicada por Correio Braziliense (@cbfotografia) em


Super Lua e a Torre de TV Digital Brasília, DF, Brasil Foto: Carlos Moura/CB #correiobraziliense @carlosalvesmoura

Uma foto publicada por Correio Braziliense (@cbfotografia) em


publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade