SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Governo de Roraima confirma 10 mortes em presídio durante briga de facções

A confusão começou quando os presos integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) quebraram os cadeados e invadiram a Ala 12, onde estavam os integrantes do Comando Vermelho (CV) durante o horário de visita

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/10/2016 16:31

Agência Estado


Em coletiva a imprensa na manhã desta segunda-feira (17/10) a cúpula da Segurança Pública desmentiu os números divulgados pela imprensa nacional de que 25 presos foram assassinados e afirmou que foram dez o número de mortos na briga de facções no domingo, 16, na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, o maior presídio de Roraima.

"O que houve foi reflexo do que está ocorrendo no País inteiro, e a ordem das mortes veio do Rio de Janeiro. Fomos pegos de surpresa, apesar de estarmos cientes de que as mortes ocorreriam, por conta da visita nas unidades prisionais que sempre foi respeitada", disse o secretário de Justiça e Cidadania, Uziel Castro.

Leia mais notícias em Política


A confusão começou quando os presos integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) quebraram os cadeados e invadiram a Ala 12, onde estavam os integrantes do Comando Vermelho (CV) durante o horário de visita.

Dos dez mortos, a segurança pública já identificou sete dos presos, dos quais o Valdineys de Alencar Sousa, o Vida Loka, que se intitulava líder do Comando Vermelho, e Leno Rocha de Castro, que seria o segundo no grupo, tiveram as cabeças decepadas. Alguns dos corpos foram incinerados, o que dificultou a identificação.

Segundo a cúpula da Segurança Pública, no Norte, outros dois Estados, Rondônia e Pará, tiveram rebeliões após o rompimento no crime organizado.

Dos cerca de 1.200 presos de Roraima, 92 se declararam integrantes da facção Comando Vermelho, que domina 10% do presídio, e foram separados de ala por sofrerem ameaças.

"Nós separamos os integrantes do Comando Vermelho na Ala 12, que foi onde ocorreu o conflito. Todos os mortos são do Comando Vermelho", disse o secretário.

Seis presos foram levados para o Hospital Geral de Roraima e dois permanecem internados, mas não estão em estado grave.

Briga nacional das facções


Quase uma centena de criminosos da maior facção criminosa do País, o PCC, foi transferida das unidades nas quais estavam presos.

O motivo é o fim de uma aliança de quase duas décadas com a principal quadrilha carioca, o Comando Vermelho. A preocupação da polícia, agora, é que o racha cause futuras guerras pelo controle das rotas de abastecimento de drogas, armas e, claro, de favelas.

Integrantes do Comando Vermelho que estão presos em São Paulo foram obrigados a pedir transferência para unidades neutras. Mas até junho passado, PCC e CV estavam aliados em uma sangrenta guerra pelo controle do tráfico na fronteira com o Paraguai.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade