SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Enem para 95 mil estudantes deve ser em 6 e 7 de dezembro

Prazo para desocupação das escolas chega ao fim e MEC vai definir a situação dos estudantes que não poderão fazer o exame

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/11/2016 06:00 / atualizado em 31/10/2016 23:02

Patrícia Rodrigues - Especial para o Correio

Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

Com o fim do prazo definido pelo Ministério da Educação para que os estudantes secundaristas saiam das escolas ocupadas em todo o país, a expectativa é que 95 mil alunos não façam o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) no próximo fim de semana. O MEC estuda aplicar o exame em 6 e 7 de dezembro (terça e quarta-feira) para os candidatos cujos locais de prova são colégios invadidos.

Leia mais notícias em Brasil

A nova data é a mesma que já havia sido definida para candidatos que estão presos e jovens sob medida socioeducativa. Eles fazem uma prova diferente, mas, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com o mesmo rigor e o mesmo grau de dificuldades aplicado aos alunos em liberdade.

Segundo último levantamento da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes), 1.197 instituições de ensino seguiam ocupadas, na sexta-feira, em 19 estados e no Distrito Federal. O Inep informou que receberá hoje um relatório do Consórcio Aplicador do Exame sobre a situação de todos os 16.476 locais em que serão realizados os exames. Dessa forma, será consolidada a lista final dos locais em que não serão aplicadas as provas em função das ocupações.

No início do mês, o ministro da Educação, Mendonça Filho, apelou para o “bom senso” dos estudantes para que as escolas fossem desocupadas até ontem. A Ubes repudiou as ameaças do ministro e afirmou que os alunos não se intimidariam. “As investidas repressoras do governo não vão impedir os estudantes. Permaneceremos resistindo até que a pauta de reivindicações seja ouvida e discutida”, disse à época.

Os estudantes que ocupam as escolas protestam contra a medida provisória que determinou a reforma do ensino médio, contra a PEC 241 — que limita os gastos do governo — e contra o PL Escola Sem Partido, que tramita no Congresso.

Pedido
Alunos do Paraná, onde a concentração de escolas ocupadas é maior, pediram ao MEC que transferisse os locais de provas, assim como os Tribunais Regionais Eleitorais mudaram as seções eleitorais no último domingo. No entanto, o ministro Mendonça Filho afirmou que “não tem logística” e que a pasta não poderia ficar “submetida ou submeter a prova à conveniência de uma ocupação ou desocupação pela vontade de um determinado grupo”.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade