SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Freira morre após incêndio em convento em Belo Horizonte

O Corpo de Bombeiros confirmou que o fogo atingiu diversos quartos da edificação, onde ficam mais de 50 freiras.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/11/2016 16:10 / atualizado em 23/11/2016 16:10

Estado de Minas

 Anderson Veloso/Divulgação

 

Uma freira de 85 anos morreu no incêndio que atingiu os dormitórios do Convento São Francisco na madrugada desta quarta-feira, no Bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte. O convento fica na Avenida Carlos Luz, perto do Centro Universitário Newton Paiva, e pertence à rede Clarissas Franciscanas. Segundo funcionários do local, o imóvel tem quase 100 anos de construção. A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) interditou a área afetada por questões de segurança, já que existe risco de desabamento de uma laja e queda de reboco.

Os bombeiros foram chamados às 5h10 e os militares do 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros, que atendem a região, chegaram rapidamente ao local. “As chamas iniciaram no anexo dos dormitórios, tomaram todo o anexo. Houve um fenômeno conhecido como 'flash over', quando há ignição espontânea e as chamas tomam toda a área”, explica a aspirante Ingrid Annie Madureira Figueiredo, que coordenou a ação juntamente com o tenente Marco Túlio.

 

Leia mais em Brasil

 

Paulo Filgueiras/EM/DA Press
 

 

Segundo ela, uma equipe dos bombeiros ficou responsável por confinar o incêndio no anexo, ao mesmo tempo em que verificava se havia vítimas. Outra equipe evacuou o anexo hospitalar com o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e de uma equipe da Unimed, já que algumas irmãs vivem com o uso de respiradores.

 

“Infelizmente, localizamos uma vítima no anexo dos dormitórios. A informação que temos é de que é a senhora Valéria Carvalho, irmã de aproximadamente 80 anos", afirma a aspirante Ingrid. Os documentos da vítima, que foi carbonizada, não foram localizados. Segundo informações do local, Valéria tinha dificuldades de audição e seu quarto estava trancado na hora do incêndio. Pelo menos 50 pessoas dormiam no anexo no momento das chamas. Duas precisaram ser socorridas pelo Samu e uma na ambulância do hospital particular, nenhuma em estado grave.

 

 

O anexo tem dois andares e o fogo danificou principalmente o andar superior. Por volta das 7h30, as chamas já haviam sido debeladas e os bombeiros trabalhavam no rescaldo. Ao todo, 23 militares da corporação atuaram no local, com o apoio da Polícia Militar e das equipes de resgate.

As causas do incêndio ainda são desconhecidas. “A perícia foi acionada e (o motivo) será foco de investigações posteriores”, diz a tenente Ingrid. O pavimento incendiado foi isolado. 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade