SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Relembre acidentes de avião que marcaram o futebol mundial

Desastre de Superga, em Turim, matou 10 jogadores da Seleção Italiana em 1949

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/11/2016 08:29

Braitner Moreira /Correio Braziliense

Reprodução de internet

O acidente de avião mais impactante da história do futebol até hoje remete a Turim, na Itália. Em 4 de maio de 1949, 18 jogadores do Torino morreram na tragédia, que vitimou 31 pessoas no total. Não houve sobreviventes.

A equipe ocupava a primeira posição do Campeonato Italiano, a quatro rodadas do fim da competição. Como o Torino foi forçado a escalar as categorias de base nos últimos jogos, os adversários também colocaram em campo jogadores jovens, em respeito ao Torino, que seria campeão. 

A tragédia com o Torino rendeu inúmeros livros. A versão mais consistente diz que o piloto do avião da Avio Linee Italiane, modelo Fiat G.212, perdeu o controle na chegada a Turim e não conseguiu evitar o choque com a cúpula da Basílica de Superga, nos arredores da cidade. A equipe voltava de um amistoso contra o Benfica, em Lisboa.

O acidente desmontou, ainda, a base da Seleção Italiana, que jogaria a Copa do Mundo de 1950, no Brasil, sem 10 titulares. Entre os mortos, estava o atacante Valentino Mazzola, maior ídolo da história do Torino, que ganhou cinco vezes o Campeonato Italiano em apeas sete temporadas disputadas.

Quatro dias após o Desastre de Superga, o Corinthians vestiu o uniforme grená do Torino em uma partida contra a Portuguesa e destinou a renda do jogo aos familiares das vítimas. Em 2015, o Timão lançou uma terceira camisa grená, em homeagem ao time italiano. 

Dez anos depois do desastre, em 28 de maio de 1959, o Torino cairia para a Série B. A equipe só ganharia o Campeonato Italiano mais uma vez, em 1976.

Outros acidentes
Na América do Sul, um dos maiores acidentes data de setembro de 1969, quando 16 atletas do boliviano The Strongest morreram. O time voltava de Santa Cruz de La Sierra para La Paz, na Bolívia. O avião desapareceu dos radares e só foi encontrado no dia seguinte.

Em 1987, no Peru, num voo fretado, morreram 16 atletas do Alianza Lima, que voltava de Pucalpa para a capital peruana. Dos 44 presentes na aeronave, apenas o piloto sobreviveu. 

Também entrou para a história o Desastre de Munique, em fevereiro de 1958. Morreram oito jogadores do Manchester United que voltavam do jogo contra o Estrela Vermelha, da Iugoslávia, pela Copa dos Campeões da Europa. Ao todo, 44 pessoas estavam na aeronave. Vinte não sobreviveram.

No futebol africano, o maior acidente remete a abril de 1993, quando 18 jogadores da seleção de Zâmbia morreram. O avião da Força Aérea de Zâmbia caiu no litoral do Gabão. O time jogaria contra o Senegal pelas eliminatórias da Copa do Mundo. A partida foi cancelada.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade