Obra vira guerra aberta pela paternidade do projeto no Rio São Francisco

Maior obra para levar água ao sertão nordestino deve custar mais de R$ 10 bilhões até 2026 e se transforma em guerra aberta pela paternidade do projeto no Rio São Francisco. Lula e Dilma "reinauguraram" um dos trechos, onde Temer esteve há 9 dias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/03/2017 07:35

Beto Barata/PR - 19/3/17
Parte das obras da Transposição do Rio São Francisco, do eixo Leste, foi inaugurada. A partir de agora, estão em jogo os desafios da solução para a seca do Nordeste. O projeto completo foi dividido em dois eixos. O Norte, com percurso de aproximadamente 400km, tem ponto de captação próximo a Cabrobó, Pernambuco, e transportará as águas aos rios Salgado e Jaguaribe, para os sertões de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. No Leste, com 220km, as águas da barragem de Itaparica, no município de Floresta, Pernambuco, alcançarão o rio Paraíba e abastecerão parte do sertão e as regiões do agreste de Pernambuco e da Paraíba.
 
 Ricardo Stuckert/Instituo Lula
 

A expectativa é de que 12 milhões de pessoas serão beneficiadas quando todo o projeto estiver em funcionamento. Somente o trecho Leste, agora concluído, deve atingir 168 municípios da Paraíba e de Pernambuco e vai permitir que 4,5 milhões de nordestinos tenham acesso à água potável. A previsão inicial, no início do governo Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002, era de que a transposição fosse concluída em 2012, depois adiada para 2015. Mas as obras só começaram em 2007. Quem inaugurou, portanto, a construção, foi o presidente Michel Temer, no último dia 10, que, inclusive, prometeu finalizar o projeto até o fim do ano. De acordo com o Palácio do Planalto, somente nos últimos 10 meses, foram injetados R$ 602 milhões no andamento das obras e, por isso, o trecho norte já está com 94,52% das obras concluídas.

Nove dias após Michel Temer celebrar a conclusão do eixo Leste, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff fizeram, ontem, uma reinauguração das mesmas obras. O evento, além de várias autoridades do PT e de seus aliados, contou também com a presença do ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), que foi ministro de Integração, há 10 anos, quando Lula tirou o projeto quase bicentenário do papel. Esse trecho da obra, de mais de 400km, custou, até o momento, R$ 8,2 bilhões.
 

 
A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Jose
Jose - 23de Março às 11:41
ATENÇÃO Sr. Ministro do T.S.E. - GILMAR FERREIRA MENDES! - Há que Cassar as Candidaturas desses 02, suspender os Direitos Eleitorais/2018 nesse ato de facínoras, por antecipar propaganda num claro golpe de marketing à moda Campina Nostra, como forma de promoção partidária !
 
GILBERTO
GILBERTO - 20de Março às 17:31
POR QUE O BRASIL , EM 500 ANOS, NAO DEIXOU O STATUS DE FAVELORIO ??? A RESPOSTA E SIMPLES. E UM TERRITORIO POVOADO POR BRASILEIROS. INFELIZMENTE, SERA IMPOSSIVEL REVERTER ESSE PROCESSO DE DEGRADACAO HUMANA. ESSA CORJA E UM VERDADEIRO DESPERDICIO PARA A HUMANIDADDE.
 
Antonio
Antonio - 20de Março às 14:12
Desde quando um Zé Ninguém pode sair inaugurando obras públicas? Quem delegou poderes a este? Cadê o TSE que não está vendo futuros candidatos fazendo propaganda eleitoral antecipada? Era só o que faltava. Daqui há pouco essas obras vão pra Lava Jato também. 1,1 bilhão a mais do que o previsto? Hummm!!!
 
Edison
Edison - 20de Março às 09:26
Coisa bem brasileira. Neste caso prefiro a consequência, ou seja, o benefício gerado para minimizar a indústria da seca. Com relação a paternidade política, mostra bem no que nossos políticos realmente pensam. Que se dane o povo, o que querem é voto! Populismo barato.
 
José
José - 20de Março às 09:04
Palhaçada. Virou bagunça.