Saneamento básico ajuda a reduzir gasto com saúde, afirma especialista

A especialista Conceição Alves alerta que as doenças relacionadas à água matam 3,5 milhões de pessoas a cada ano, na América Latina, África e Ásia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/04/2017 10:45 / atualizado em 12/04/2017 10:52

Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press
A PhD do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da UnB, Conceição Alves, considera que o grande ganho do investimento em água é a melhoria da saúde da população e a eficiência nas atividades econômicas. “Cada real investido em saneamento corresponde a R$ 4 de economia na área de saúde”, aponta Conceição.

A especialista alerta que as doenças relacionadas à água matam 3,5 milhões de pessoas a cada ano, na América Latina, África e Ásia, um número superior à soma de mortes por Aids e acidentes rodoviários. Conceição acredita que é preciso olhar a questão da água de forma ampla, pois existe a visão econômica, com impacto nas indústrias e no agronegócio; a social, por onde passa a questão da saúde pública; e ainda o componente ambiental.

Cerca de 2,4 bilhões de pessoas não têm acesso a uma solução apropriada de saneamento básico, composta por serviços de água e esgoto. Isso equivale a mais de um terço da população mundial, hoje estimada em 7,4 bilhões. Os números citados pelo especialista em Água e saneamento do Banco Mundial, Tadeu Abicailil, chamam a atenção sobre os desafios que os governos do mundo precisam enfrentar para a universalização do acesso à água.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.